ARTIGO

Será que deixámos de gostar do digital?

Explore o poder do marketing impresso num mundo digital


Family sat in living area on digital devices


Desconfiança em relação ao mundo digital

A confiança é a base de qualquer relação sólida, especialmente numa relação entre a marca e o consumidor. No entanto, existe a incontornável sensação de que esta relação está a ser posta à prova pela crescente desconfiança dos consumidores em relação às plataformas digitais.

No final de julho de 2018, o preço das ações do Facebook caiu 19%, eliminando mais de 119 mil milhões de dólares norte-americanos do seu valor no maior colapso de sempre num único dia do valor de uma empresa. Três milhões de utilizadores na Europa tinham abandonado a principal rede social do mundo na sequência do escândalo Cambridge Analytica, que envolveu a recolha de informações de 50 milhões de perfis do Facebook sem a autorização ou conhecimento dos utilizadores.

Parafraseando o artigo de Farhad Manjoo para o New York Times(1), é difícil demonstrar o mesmo entusiasmo que tínhamos pelos smartphones e pelas redes sociais há dez anos, quando agora associamos estas tecnologias ao tratamento indevido dos dados e a publicidade intrusiva.

Tal como o autor indica, "não conseguimos ainda enfrentar, como sociedade, o nível de controlo que detêm sobre as nossas vidas. Além disso, não temos muitas opções para o limitar."



1 – Why Tech Is Starting To Make Me Uneasy, The New York Times, 11 de outubro de 2017

Mac, keyboard and stationary scattered on desk


As possibilidades do marketing impresso

Os profissionais de marketing estão cada vez mais conscientes deste sentimento amplamente partilhado entre os consumidores. Os canais digitais, por si só, já não são suficientes para o desenvolvimento de campanhas de marketing direcionadas. O marketing impresso é capaz de estimular o importante envolvimento emocional entre a marca e o seu público-alvo. Assim, os profissionais de marketing precisam de mobilizar a impressão para um papel complementar ao lado do digital.

Se a confiança é a chave para criar uma ligação com o consumidor, então a impressão está numa excelente posição para causar impacto. De acordo com a MarketingSherpa (2), a impressão está incluída entre os cinco canais de publicidade mais fiáveis:

  • Anúncios impressos em jornais e revistas (82%)
  • Anúncios televisivos (80%)
  • Anúncios de publicidade endereçada e catálogos (76%)
  • Rádio (71%)
  • Sinalização em espaços exteriores (69%)

Os pop-ups online surgem no fundo da sondagem.

É fácil de perceber o motivo pelo qual as pessoas estão a passar por uma "desintoxicação digital" e a retomar o contacto com a impressão. O consumo de conteúdos digitais é muitas vezes marcado por alertas de notificações, separadores abertos, anúncios invasivos e hiperligações que o direcionam para outras páginas diferentes da que está a tentar ler. Em vez disso, a impressão ajuda na concentração e aumenta a absorção de informações, um detalhe demasiado crucial que os proprietários das marcas não podem ignorar durante a fase de planeamento de uma campanha.



2 – Marketing Chart: Which advertising channels consumers trust most and least when making purchases, Marketing Sherpa, 17 de janeiro de 2017



Uma separação drástica entre a impressão e o digital seria um erro, uma vez que podem surgir imensas oportunidades através da combinação dos seus pontos fortes

No entanto, uma separação drástica entre o digital e a impressão também seria um erro, uma vez que podem surgir imensas oportunidades através da combinação dos seus pontos fortes. Os profissionais de marketing compreendem que, desde que seja realizada dentro dos parâmetros e regulamentos estabelecidos pela indústria, a recolha de dados pessoais dos clientes é essencial para os abordar instantaneamente com conteúdos rigorosamente adaptados ao seu perfil.

Ao combinar os recursos de personalização do digital com o poder da impressão para reconstruir a confiança e estimular um envolvimento mais profundo e focado através do conteúdo, os profissionais de marketing são capazes de criar campanhas promocionais inovadoras dirigidas a grupos demográficos específicos.

À luz deste argumento, torna-se clara a dimensão da oportunidade que se avizinha para os profissionais de marketing. A impressão tem sido um elemento constante em campanhas promocionais desde os primórdios do marketing. Entretanto, o digital surgiu, causou impacto e evoluiu para um poderoso canal de comunicação num curto espaço de tempo.

Conceitos inovadores como a impressão programática permitem que os profissionais de marketing combinem as vantagens da impressão e do digital para criar algo especial. Ao tirar o máximo partido dos dados para criar mais experiências centradas no cliente em publicidade endereçada, brochuras, revistas para o cliente e catálogos impressos, as marcas estão na posição certa para oferecer recursos de marketing capazes de atingir novos níveis de envolvimento e, essencialmente, de aumentar o nível de resposta.

Escrito por Tino Wägelein
Business Development Manager, Canon Europe


Soluções relacionadas

Explorar mais



Saiba mais sobre a combinação do poder da impressão e do digital nas suas campanhas de marketing

Fale com a nossa equipa