Um dos desportos de inverno mais radicais

Antigamente uma forma de viajar por lugares remotos durante os meses de neve, o skijoring é agora um dos desportos de inverno mais radicais e competitivos. Uma pessoa sobre esquis segura em rédeas e é puxada por cavalos com um treino especial e sem cavaleiro. Os participantes atingem velocidades impressionantes de até 50 km/h.

O Skijoring foi um desporto de demonstração nos Jogos Olímpicos de Inverno de 1928 e atualmente as corridas são realizadas em muitos países, incluindo nos Estados Unidos, Canadá, França e partes da Escandinávia. A maioria das corridas têm entre cinco e 20 quilómetros de comprimento. Em todos os casos, os cavalos são criados e treinados para manter a calma em condições de corrida e para que se sintam confortáveis com rédeas e o esquiador atrás deles.

Para nos aproximarmos da emoção e da adrenalina do skijoring, seguimos Franco Moro, de 55 anos, campeão mundial, apaixonado pela velocidade e seguidor de neve, enquanto treinava na Argentina. Segue a sua obsessão pelo skijoring há 31 anos e tem participado no evento White Turf em St Moritz, na Suíça, há mais de três décadas. A sua paixão pelo desporto revela uma forma diferente de viver o tempo mais frio do ano: experimentar as condições extremas da neve, em vez de hibernar dentro de casa. Come and see.

Imagery © Richard Walch. Embaixador Canon