Andrey-Golovanov-Sergey-Kivrin-fencing

Fotografia de ação com Andrey Golovanov & Sergey Kivrin

© Andrey Golovanov and Sergey Kivrin.

 

Com a Maratona de Londres e a Corrida de Bicicletas de Londres a Paris a aproximarem-se, pensámos que seria interessante conversar com dois dos mais experientes fotógrafos de desporto do mundo: Andrey Golovanov e Sergey Kivrin. Numa entrevista exclusiva, falaram à Canon sobre as vantagens de trabalhar em equipa e a sua abordagem à captação de excelentes fotografias de ação.

Tornar a fotografia num desporto de equipa

É muito raro encontrar uma equipa fotográfica criativa a trabalhar com tanta proximidade, mas os fotógrafos russos Andrey Golovanov e Sergey Kivrin não o fariam de outra forma. Conheceram-se em 1986, quando trabalhavam numa revista da União Soviética, e têm sido inseparáveis desde então.

Sergey explica os benefícios do acordo incomum, "Parece-me que esta cooperação só traz vantagens. Em primeiro lugar: quando trabalhamos em conjunto nas sessões fotográficas, temos sempre dois pontos de vista e duas perspetivas do evento. Em segundo lugar, se um dos dois perdeu algo, o outro pode ser usado como garantia. Também é pouco provável que alguma vez tenhamos de recusar trabalhos. Mesmo que um de nós fique doente, o outro pode fazê-lo. Isto é especialmente útil ao trabalhar em conjunto nos Jogos Olímpicos, onde é necessário captar eventos que acontecem ao mesmo tempo!"

© Andrey Golovanov and Sergey Kivrin.

Mais do que um momento

Andrey e Sergey conquistaram a sua reputação como fotógrafos desportivos de alta qualidade à maneira antiga: sendo prolíficos e tirando milhares de fotografias incríveis em grandes eventos desportivos em todo o mundo. Ao longo dos anos, foram aprendendo o que funciona e o que não funciona. Enquanto a fórmula desportiva pode parecer fácil – "Iluminação, fundo, a emoção do atleta, a beleza de forma e a dinâmica, são todos vitais" – é o ponto de disparo e a compreensão do género que mais fazem a diferença.

Sergey explica. "Nós tentamos sempre escolher um ponto de disparo que não interfira com a publicidade, bancadas e postes de iluminação. Tentamos tornar todas as fotografias de reportagem esteticamente atraentes e não apenas "captar" o momento."

A preparação é, naturalmente, um componente vital. "É necessário fazer uma preparação antecipada cada vez que vamos fotografar. Explorar as particularidades do desporto, visitar o local e encontrar todos os melhores pontos de disparo. Também é necessário estar familiarizado com as características e os hábitos dos atletas. Então, pode criar-se uma imagem antecipadamente e ficar pronto a disparar. A principal coisa a saber é o que se pretende dizer e não confiar na sorte."

Como pode imaginar, trabalhar com fotografias de ação tão imprevisíveis requer uma bolsa de acessórios que esteja pronta para tudo. "Temos sempre connosco um conjunto completo de objetivas Canon EF 16-35mm f/4L IS USM, EF 70-200mm f/2.8L IS II USM, EF 300mm f/2.8L IS II USM and EF 400mm f/2.8L IS II USM. Temos a tendência de utilizar a Canon EOS-1D X Mark II."

Veteranos dos Jogos Olímpicos

Não há muitos profissionais que podem afirmar legitimamente que estiveram presentes em mais de uma dúzia de Jogos Olímpicos, mas para Andrey Golovanov e Sergey Kivrin, é apenas mais um dia de trabalho.

Rio de Janeiro foi a 15.ª olimpíada de Andrey e a 12.ª de Sergey. Com tantos Jogos Olímpicos no currículo, eles sabem certamente o que fazem. No entanto, dizem que, atualmente, está a tornar-se mais difícil. "Infelizmente, o sucesso do nosso trabalho depende muito dos organizadores dos Jogos Olímpicos. O transporte, os locais e o número de fotógrafos; a distância entre as instalações desportivas, bom acesso à Internet: tudo isto afeta consideravelmente a qualidade do nosso trabalho."

Sergey traz-nos de volta à Terra para nos dizer que nem tudo é um mar de rosas. "Os fotógrafos de imprensa dormem, mesmo sob condições ideais, um máximo de quatro horas por dia. Portanto, trata-se de um trabalho duro."

A evolução da fotografia

Sergey e Andrey têm, conjuntamente, décadas de experiência e têm visto, em primeira mão, as várias mudanças no setor da fotografia. Desde a evolução do equipamento fotográfico até à ascensão da vertente digital, adaptaram-se e prosperaram numa indústria que se move à velocidade da luz.

Para serem reconhecidos por fotografar em película, precisavam de ser bastante mais seletivos. "Quando nós estávamos a fotografar em película, estávamos muito dependentes da quantidade e qualidade dos materiais fotográficos. Na União Soviética, esta relação foi particularmente forte. A chega da tecnologia digital, disponível a todos os fotógrafos, tornou, de alguma forma, as coisas mais equilibradas."

Eles, como muitos outros, acreditam que existe um equívoco comum agora, isto é, que todos são fotógrafos. "A nossa profissão mudou dramaticamente; mudou de atitude. Agora, todos os telefones têm câmaras incluídas e todos se consideram fotógrafos."

© Andrey Golovanov and Sergey Kivrin.

O que se segue para a dupla russa?

Mesmo adorando tirar fotografias desportivas, não há muita coisa que não os entusiasme. "É sempre interessante trabalhar para uma revista, um livro ou uma exposição. Algo um pouco diferente. Em todos estes casos, é necessário captar não só os campeões, mas também o ambiente."

Mas, como pode imaginar, a concorrência para estes trabalhos é feroz e torna-se mais intensa a cada ano. "Infelizmente, estes pedidos estão a ficar cada vez mais escassos", revela Sergey. "Frequentemente, a imprensa vai agora diretamente à Internet. Já não valorizam a qualidade; a velocidade é a única coisa que interessa."

Felizmente, parece que ainda há alguma procura por fotografias de ação desportivas de qualidade. "Os nossos próximos trabalhos são a Federation Cup de ténis, na Rússia, e a International Tennis Federation, no Cazaquistão. No verão, vamos trabalhar na Taça das Confederações de futebol, em Moscovo, e nos Jogos Islâmicos, em Baku. Portanto, sim", sorri Sergey, "Vamos estar ocupados."

Prémios e reconhecimentos

Durante as suas ilustres carreiras, a dupla já venceu vários prémios de fotografia em todo o mundo, incluindo França, Holanda, Bélgica, Suíça, Alemanha, Japão e, o seu país natal, Rússia. Tiveram um particular orgulho pela sua cobertura dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. O par também ajudou a contribuir com imagens para a candidatura da Rússia para realizar os Jogos de Inverno de 2014, em Sochi, sendo que também foram contratados para dar formação a outros fotógrafos desportivos na preparação para esses jogos.

© Andrey Golovanov and Sergey Kivrin.

Bolsa de acessórios de Sergey e Andrey:

Câmaras:

EOS-1D X

EOS-1D X Mark II

Objetivas:

EF 16-35mm f/2.8L III USM

EF 70-200mm f/2.8L IS II USM

EF 200-400mm f/4L IS USM Extender 1.4x

EF 300mm f/2.8L IS II USM

EF 400mm f/2.8L IS II USM

EF 600mm f/4L IS II USM

EF 800mm f/5.6L IS USM

Acessórios:

Canon EF Extender 1.4x III

Telecomando com temporizador Canon TC-80N3



Créditos da entrevista: escrito por Martin Fleming