Sébastien-Devaud-Tunnel-Bubblecar

Aproveitar a luz de inverno

Realizador e produtor há mais de 16 anos, Sébastien Devaud é, acima de tudo, apaixonado pela imagem. Da gravação e pós-produção de anúncios e vídeos de música no final dos anos noventa, Sébastien passou para a TV. O seu trabalho é notável pela utilização de uma iluminação contemporânea e efeitos de profundidade de campo. Além disso, reparou desde o início no potencial da revolucionária câmara DSLR EOS 5D Mark II para os filmes e, atualmente, utiliza a gama completa de câmaras e objetivas Canon em todas as suas produções.

Sendo a luz natural escassa nos dias mais curtos do ano e estando as nossas cidades e casas decoradas com brilhantes e coloridas luzes festivas durante a noite, falámos com Sébastien para obter algumas sugestões sobre como aproveitar ao máximo a luz de inverno em fotografias e vídeos, e para descobrirmos um pouco mais sobre a sua viagem pessoal pelo mundo da imagem.

Captar as várias expressões do inverno

Sébastien fez questão de salientar a importância de ver o tempo de inverno como uma oportunidade e não uma desvantagem, antes de destacar três pontos-chave para captar o ambiente de um dia frio de inverno.

© Sébastien Devaud - Explorador Canon. A utilizar uma Canon EOS C100 com uma objetiva EF 400mm f/5.6L USM; exposição de 1/50s a f/5.6, ISO 850.

"Para o ajudar a captar o ambiente especial de uma paisagem de inverno, utilize uma teleobjetiva, de forma a criar um contraste marcado entre o primeiro e o segundo plano."

"Como é habitual, as horas mágicas ao nascer e ao pôr-do-sol são os melhores momentos para captar o ambiente de um dia de inverno. O crepúsculo, depois de o sol se pôr mas antes do cair da noite, proporciona-lhe esse fugaz e especial equilíbrio entre luz e sombra no inverno que é mágico de captar. Uma tempestade de neve nesse momento pode adicionar um ambiente dramático e aumentar a força da sua composição. Quanto às imagens durante o nascer do sol, o melhor do inverno é que o sol nasce entre as 7 e as 8 horas, em vez de nascer entre as 4 e as 5 horas como no verão. Por isso, pode dormir mais um pouco!

"A sua escolha de definições pode ser mais complicada de gerir no inverno ao captar a neve ou os céus nublados. O melhor é aumentar um pouco a sua exposição comparativamente à definição de exposição automática, para que a neve ou o céu aparentem ser mais brancos do que cinzentos. Captar a preto e branco é uma boa forma de melhorar o lado dramático desta época, enquanto a névoa, o nevoeiro, as nuvens baixas ou a água podem também adicionar uma expressão peculiar à captação de imagens no inverno."

© Sébastien Devaud - Explorador Canon. A utilizar uma Canon EOS 5D Mark III com uma objetiva EF 70-200mm f/4L IS USM; exposição 1/125s a f/8, ISO 400.

"Captada durante a hora mágica, o reflexo do céu colorido sobre a praia húmida proporciona um cenário muito forte para o meu motivo principal: os pássaros."

Luzes brilhantes...

Sébastien tem algumas dicas muito úteis sobre a melhor forma de captar as luzes de cores brilhantes e o fogo-de-artifício que são parte integrante da quadra festiva.

"A maior dificuldade deste tipo de fotografias reside em captar o intervalo dinâmico elevado entre o escuro profundo e os detalhes do destaque das luzes brilhantes e coloridas.

"Quando estou a filmar com o sistema Cinema EOS da Canon, utilizo sempre um perfil Canon Log Gamma para obter a exposição ideal. Esta é a melhor forma de gerir e captar o intervalo dinâmico elevado e obter máxima flexibilidade e detalhe na gradação de cores. Se estiver a fotografar com uma DSLR, utilize um tripé e um telecomando para iniciar e parar a gravação, de modo a assegurar que não existe qualquer vibração. Para evitar a sobre-exposição, ajuste as definições manualmente e utilize a luz do dia para o balanço de brancos.

"A sua escolha de velocidade do obturador depende dos resultados que pretende obter. No entanto, tenha cuidado, pois algumas luzes LED de baixa qualidade podem proporcionar uma imagem intermitente. Tal como disse, a hora mágica é a melhor hora para captar imagens no exterior. Por outro lado, para a captação de cenas no interior, ligar a iluminação ambiente confere o melhor equilíbrio entre as cores brilhantes e coloridas que pretende e o fundo."

© Sébastien Devaud - Explorador Canon. A utilizar uma Canon EOS C300 com uma objetiva EF 8-15mm f/4L Fisheye USM; exposição de 1/12s a f/5.6, ISO 1250.

"O reflexo das luzes coloridas na janela traseira intensifica o movimento do veículo nesta imagem, extraída de uma sequência de um filme HD captada em câmara lenta para desfocar a estrada."

...e fogo-de-artifício

"Mais uma vez, existem diferentes técnicas para captar o fogo-de-artifício, dependendo do resultado que pretende obter. Necessita de utilizar definições de exposição manual em vez do modo automático, de forma a evitar que as imagens fiquem sobre-expostas. A minha preferência recai sobre uma velocidade de obturação lenta de 1/25s ou inferior, uma abertura máxima da objetiva, ISO inferior a ISO 2500 (para evitar ruído) e um balanço de brancos de luz do dia. Estabilize as suas imagens através de um tripé ou de uma objetiva com a função de estabilizador de imagem."

© Sébastien Devaud - Explorador Canon. A utilizar uma Canon XF305; exposição de 1/50s a f/4, ganho +3 db.

"Ao captar fogo-de-artifício, é sempre melhor enquadrar a sua imagem com a parte de trás do público ou os edifícios como primeiro plano, de forma a realçar toda a grandeza do espetáculo.

"A captação em câmara lenta depende das opções técnicas de que dispõe. Com uma DSLR tradicional, sugiro que filme a 50 fps e que adapte para 25 fps depois de concluir. Pode igualmente fazer experiências com fotografias fora de focagem para criar um belo efeito bokeh ou com reflexos na água ou num espelho.

"Em geral, penso que filmar fogo-de-artifício é algo de loucos, pelo que a minha sugestão final é virar a câmara para o público que está a assistir. Não só conseguirá captar grandes emoções, como também poderá captar o brilho dos olhos, com o reflexo de algumas luzes belas e coloridas nas caras das pessoas."

© Disneyland Paris. A utilizar uma EOS C300 Mark II com uma objetiva CN-E 30-300mm T2.95-3.7L S; exposição de 1/100s a f/3.7, ISO 1250.

"No fogo-de-artifício ou noutros espetáculos e eventos, é por vezes melhor procurar o efeito "Wow" do público e captar o brilho dos seus olhos."

Ferramentas diferentes, as mesmas técnicas

Sébastien destacou também que, seja qual for a ferramenta que estiver a utilizar, são aplicáveis as mesmas técnicas para captar a delicada luz de inverno.

"Com a nova geração de produtos, existem agora as ferramentas ideais para que todos possam obter os melhores resultados. Por isso, enquanto eu prefiro filmar com a Cinema EOS C300 Mark II e Canon Log, um fotógrafo irá escolher uma câmara DSLR e captar a mesma cena em formato RAW. No entanto, no que respeita às técnicas para lidar com situações de iluminação difícil, creio que não existe qualquer diferença entre a fotografia e a filmagem."

Além disso, deixou ainda algumas sugestões para os principiantes nas filmagens com a sua câmara fotográfica.
"Em 2009, teria dito: 'em primeiro lugar, prestem muita atenção à focagem; depois, à estabilização; em seguida, à exposição manual; e, por fim, à escolha da compressão certa para a taxa de bits de gravação da câmara.'

"Atualmente, é tudo muito mais simples. A nova geração de DSLR da Canon inclui toda uma gama de fantásticas ferramentas de assistência técnica para que se tenha de concentrar apenas no enquadramento. A minha outra sugestão é gravar o áudio ao vivo num gravador em separado, caso necessite de um resultado de nível profissional."

Kit de Sébastien:

Câmaras
Canon EOS C300 e C300 Mark II
Canon EOS 1D C

Objetivas
EF 70-200 f/2.8L IS II USM
EF 14mm f/2.8L II USM
EF 24-70 f/2.8L II USM
EF 100mm f/2.8L IS USM
TS-E 24mm f/3.5L II
Extender EF 2x III