Black and white image of two friends

Explorar o fotojornalismo com a EOS DSLR

Conhecer as técnicas do fotojornalismo de Brian Worley, tutor da Canon

É frequente os fotojornalistas utilizarem diversas câmaras para captarem a ação, desde DSLR da Canon de nível profissional a câmaras compactas da Canon. Utilizar uma DSLR EOS proporciona uma maior versatilidade e controlo sobre as imagens. No entanto, a utilização de uma câmara compacta da Canon poderá ser menos incómoda e, ainda assim, produzir excelentes resultados. Seja qual for a câmara utilizada, é importante não esquecer que o melhor fotojornalismo tem uma profundidade e uma longevidade que vão além das muitas imagens publicadas diariamente nos sites de notícias por todo o mundo.
Para além dos conselhos técnicos mencionados a seguir, tenha em atenção que o bom fotojornalista possui excelentes capacidades interpessoais, assim como uma grande capacidade técnica atrás da objetiva. É importante ter capacidade para compor a fotografia ao pormenor, mas é igualmente importante ser capaz de captar as emoções, a energia ou o extraordinário. Algum do melhor fotojornalismo é conseguido com a captação de momentos inesperados, pelo que ter uma câmara compacta da Canon, como a IXUS ou a PowerShot, na mochila pode ser útil para o caso de se encontrar no lugar certo, à hora exata.

Aproveitar as grandes angulares ao máximo

Para contar uma história numa fotografia, muitos fotojornalistas utilizam uma objetiva de grande angular, como uma 35 mm.

Eles muitas vezes trabalham com a objetiva perto do motivo principal da história, pelo que não deve recear chegar perto das pessoas que estão no centro da sua história, pode até iniciar uma boa conversa com elas.

Uma objetiva de maior abertura disponibiliza uma maior profundidade de campo, permitindo captar o ambiente envolvente da história juntamente com o motivo principal. Por exemplo, pode mostrar a dimensão de uma manifestação enquanto foca uma pessoa no centro.

Muitas câmaras Canon EOS dispõem de uma objetiva zoom que começa nos 18 mm. Experimente definir a sua objetiva com uma distância focal aproximada de 22 mm e pratique com ela. Em vez de se basear no zoom, pode mudar o seu posicionamento e o da câmara para enquadrar os motivos. Pode ser complicado ao início, mas terá maior flexibilidade para captar o desenvolver de uma história e, talvez, até ficar em boa forma física.

Utilizar a focagem automática para ajudar na composição

Devido à sua própria natureza, o fotojornalismo autêntico deve fazer o registo real e preciso da situação enquadrada. Para que uma imagem seja considerada fatual, não pode ser recortada, e melhorá-la com Photoshop está definitivamente fora de questão. Como não vai poder alterar a imagem mais tarde, vai ser preciso compor a fotografia ao pormenor com o visor da DSLR.

Para tal, defina a câmara para um único ponto de focagem automática, em vez de utilizar o ponto AF central. Defina o ponto de focagem automática para a esquerda ou para a direita na moldura, para conseguir compor a cena com a regra dos terços (imaginar que a moldura está dividida em três é uma forma simples de compor belas fotografias). Desta forma, vai conseguir despertar drama e interesse ao captar cenas com pessoas, por exemplo, numa manifestação, numa cerimónia de entrega de prémios ou num festival.

Conhecer a câmara e a objetiva

Uma das principais capacidades de qualquer fotojornalista é tornar a câmara e a objetiva numa verdadeira ferramenta que capte um determinado momento sem o destruir. Por esse motivo, é importante ter a câmara sempre pronta e saber alterar rapidamente as definições, por instinto. Antes de partir em busca de uma história fotográfica, pratique as alterações às definições da câmara, sem fotografar. Uma forma de o conseguir é colocar a DSLR EOS numa mochila e rodar o seletor rapidamente sem olhar. Num instante, vai aprender a fazer as alterações mais rapidamente e ser capaz de captar imagens sem perder a ação que se desenrola à sua frente.

Experimente utilizar uma objetiva com distância focal fixa e, com a prática, vai ficar a saber como ficou a fotografia tirada antes mesmo de a ver no visor.

Imagens monocromáticas

Assim que dominar os princípios básicos, experimente definir a DSLR EOS para o Estilo imagem monocromático. As imagens no LCD vão passar a aparecer a preto e branco, o que vai ajudá-lo a ver o motivo sem a distração da cor. Rever uma imagem a preto e branco no LCD mostra a composição da fotografia com clareza, sem a distração da cor. Este pode ser um ponto de referência útil quando estiver a trabalhar a sério.

As DSLR EOS mais avançadas podem processar a imagem RAW diretamente na câmara. Procure o menu de processamento imagem RAW e converta imagens RAW em fotografias monocromáticas ou a cores.