REDLINE CHALLENGE: EXPLORAR A “LUZ NO ESCURO”

Lisboa, 18 de maio de 2021 – O Redline Challenge é a mais recente competição fotográfica lançado pela Canon Europa, e o seu primeiro desafio centra-se no tema “Light in the Dark”, ou seja, a exploração da luz, da sombra, da cor e do contraste em situações de pouca luminosidade. Trilhos de luz, sujeitos em silhueta, filtros coloridos ou uma utilização inteligente do flash – este tema oferece inúmeras possibilidades criativas e muitas oportunidades para os participantes levarem as suas habilidades ao nível seguinte.

O consagrado fotógrafo Lorenz Holder, Embaixador da Canon, partilha as suas técnicas para responder a pedidos de clientes e desafiar a própria criatividade

Locais aparentemente vulgares podem ganhar uma atmosfera totalmente nova à noite. Aqui, as linhas diagonais estruturam a composição, e a luz no centro contrasta com a roupa escura da pessoa fotografada. A imagem foi captada através de uma câmara Canon EOS R6 com objetiva Canon RF 70-200mm F2.8L IS USM a 115mm, 1/60 segundos, f/5 e ISO 8000. © Lorenz Holder

“Este é um tema maravilhoso porque muitos fotógrafos se refletem nele,” explica Lorenz Holder, fotógrafo de renome internacional e responsável por este primeiro desafio do Redline Challenge. “Tanto fotógrafos urbanos, como de paisagem, retrato ou desporto, podem fotografar em ambientes escuros, tirando o máximo partido da luz, pelo que não há limites em termos de nenhum género particular. É como ter uma folha em branco.”

As imagens impactantes de Lorenz permitiram-lhe construir uma carreira de sucesso – o que o desafia constantemente a superar-se e a captar composições cada vez mais interessantes e criativas. O Embaixador da Canon partilha algumas técnicas que pode utilizar quando tenta captar a relação luz-sombra:

  1. 1. Descodificar o briefing – O briefing recebido dá-nos uma ideia e uma direção a seguir. “Eu provavelmente começaria por pensar ‘em que lugar conseguirei ser criativo com a luz?’ Pode ser um edifício, uma rua com potencial, ou uma floresta – um qualquer local que fique bem no escuro.” O fotógrafo aconselha que se comece por visitar o local escolhido e tirar algumas fotografias de teste. O passo seguinte é prosseguir para o storyboard e fazer alguns esboços, de forma a ter um plano aproximado da imagem final. Dependendo da urgência do cliente e das suas exigências, o tempo de preparação pode demorar dias ou meses.
  1. 2. Escolher o local – É natural que se pense, intuitivamente, num local que já se conhece e que encaixe no tema do desafio. “Não se pode realmente procurar bons sítios, são eles que nos encontram. Encontro inspiração em qualquer lugar" , comenta Lorenz. É igualmente importante ter em conta as condições nas quais se vai fotografar e que impacto podem ter na imagem final – por vezes pode fazer sentido esperar por um dia de chuva ou nevoeiro, por exemplo, para criar um determinado ambiente. É preciso ter algo presente: na fotografia de exterior não é possível controlar tudo com precisão. “Temos de manter o nosso estilo natural de fotografia e ter em conta as condições do momento, e manter-nos flexíveis. Se algo não funcionar, procuremos outras oportunidades criativas,”
  1. 3. Selecionar o material certo – Ao fotografar numa localização, Lorenz Holder tenta levar com ele o máximo de material possível, para estar preparado para todas as situações. Para responder ao tema “Light in the Dark”, Lorenz Holder aconselha fotografar durante a noite, procurando destacar os elementos com fontes de luz: “À noite somos nós a criar a luz, o que significa que a podemos colocar onde quisermos. Se não queremos que algo apareça na imagem, não o iluminamos.” O fotógrafo pode fazer-se acompanhar de uma câmara EOS R, como as Canon EOS R5 ou R6; das objetivas Canon RF 24-70mm F2.8L IS USM, RF 70-200mm F2.8L IS USM e RF 15-35mm F2.8L IS USM; e ainda de um flash de estúdio.
  1. 4. Escolher um motivo – Haverá quem escolha fotografar paisagens, mas também quem pretenda incluir um modelo na imagem. No primeiro caso, o fotógrafo deve aproveitar para utilizar as capacidades em que é melhor; no segundo, e independentemente de quem for a pessoa a fotografar, a comunicação é crucial para que ela perceba o que se pretende e se tire o melhor partido da situação. “Perguntem-se se devem coloca um modelo no cenário. Se existir um a pessoa o foco estará sempre nela, mas por vezes apenas um cenário também pode ser belo,” , explica Holder.
  1. 5. Pensar na cor – A cor é um dos elementos mais importantes a considerar em qualquer fotografia, mas sobretudo quando se está a concorrer a um prémio. Por exemplo, ao fotografar uma pessoa é importante ter em conta a cor da sua roupa de garantir que resulta bem com o cenário envolvente. “Peço sempre aos atletas que fotografo que tragam uma camisola vermelha, porque brilha realmente numa imagem,” explica o fotógrafo. “O amarelo pode ser demasiado claro, e o azul absorve muita luz, mas o vermelho fica ótimo. Também contrasta bem com azul, que é uma cor que acontece muito na fotografia noturna.”
  1. 6. Fotografar o que se gosta – Qualquer que seja o género fotográfico e interpretação que se faça do tema “Light in the Dark”, Lorenz Holder convida todos os participantes do Redline Challenge a explorar a sua criatividade e a não ter medo de experimentar novos estilos e técnicas. Deixa também o conselho de fotografarem aquilo de que gostam – porque a paixão pelo tema transparecerá para a imagem final.

As inscrições para o Desafio Redline decorrem até 31 de maio de 2021. Consulte aqui os Termos e Condições do concurso.