City square at night

Sugestões de fotografias noturnas

À noite com a EOS

Não deixe a câmara em casa ao fim do dia. A noite oferece diversas oportunidades para continuar a fotografar.
Apresentamos algumas técnicas e funcionalidades úteis incluídas neste tutorial.

  • Paisagens de inverno
  • Retratos
  • Paisagens urbanas
  • Fotografias noturnas
  • Utilização de filtros
  • "Ver" a preto e branco
  • Gravação de ficheiros JPEG e RAW

Vibração da câmara

Poderá ser óbvio, mas a primeira coisa que irá notar é a redução do nível de luz. É possível aumentar a sensibilidade à luz do sensor digital aumentando o valor ISO. Também é possível utilizar uma maior abertura da objetiva para aumentar a quantidade de luz que chega ao sensor. No entanto, é provável que tenha de utilizar velocidades de obturação mais lentas para obter a exposição correta.

O problema da utilização de velocidades de obturação mais lentas é a trepidação da câmara. Não é possível manter a câmara completamente imóvel segurando-a com as mãos. As velocidades de obturação mais lentas não alteram a quantidade de trepidação da câmara, mas aumentam a oportunidade de esta ocorrer. Uma distância focal mais longa também aumenta o efeito da trepidação da câmara, por isso, ao fotografar à noite, sugerimos que utilize uma objetiva com uma distância focal inferior: o melhor é 18 mm ou 24 mm.

Tripés

Por muito que tente ficar imóvel, terá tendência a balançar lateralmente ou de trás para a frente. Um tripé robusto, assente em chão firme, permite utilizar tempos de exposição de vários minutos sem trepidação da câmara.

O momento de maior risco de movimento com a câmara num tripé é quando prime o botão do obturador para iniciar a exposição. Tocar na câmara pode criar um movimento ligeiro. Este movimento pode demorar um ou dois segundos a passar e pode afetar exposições de alguns segundos ou mais.

Para evitar esta situação, pode utilizar o temporizador incorporado na EOS. Desta forma, qualquer movimento criado ao premir o botão do obturador é eliminado antes do início da exposição. O atraso de 2 segundos é ideal ao fotografar motivos estáticos com a câmara num tripé.

Disparo remoto

Se estiver a fotografar um motivo em movimento e precisar de disparar o obturador num momento específico, é possível utilizar o telecomando Canon. O comando possui um pequeno cabo e ficha, que liga à tomada remota da câmara. Na outra extremidade do cabo encontra-se uma pequena unidade com um botão. Ao premir o botão, a câmara dispara sem qualquer risco de movimento.

Bloqueio do espelho

Várias câmaras EOS possuem uma funcionalidade de bloqueio do espelho, definida através de uma função personalizada. O espelho refletor no interior da câmara envia o reflexo da luz para o visor ótico. No início da exposição, o espelho é recolhido para permitir a entrada da luz até ao sensor na parte posterior da câmara. No entanto, ao realizar este movimento rápido, o espelho atinge os amortecedores em esponja na parte superior do curso, podendo introduzir vibrações na câmara.

Com o bloqueio do espelho, ao premir uma vez o botão do obturador, o espelho recolhe. Pode então aguardar um ou dois segundos até passarem as vibrações e, em seguida, premir novamente o botão do obturador para disparar o obturador.

Utilizar o modo manual

A exposição correta de cenas noturnas pode revelar-se difícil. Em parte, tal ocorre uma vez que as cenas possuem frequentemente grandes áreas escuras e, em parte, uma vez que diferentes exposições podem proporcionar resultados igualmente bons.

Para começar, tire uma fotografia utilizando a exposição recomendada. Pode então ajustar um dos valores da exposição – normalmente, a velocidade do obturador – e tirar outra fotografia para ver se a imagem melhorou. Com apenas algumas fotografias, deverá obter uma imagem que seja do seu agrado. Não fique por aqui. Continue a experimentar diferentes exposições para ver se obtém mais resultados do seu agrado.

Exposições "Bulb"

É possível definir na EOS um tempo de exposição de até 30 segundos. O modo "Bulb" (B) permite-lhe realizar exposições muito superiores. A forma de definir o modo "B" varia consoante o modelo, por isso, consulte o seu manual de instruções para obter informações precisas.

Ao manter premido o botão do obturador no modo "B", o obturador abre e permanece aberto até libertar o botão. Um telecomando permite-lhe bloquear o obturador na posição aberta, para que não tenha de manter o botão premido durante a exposição longa.

Com o bloqueio do espelho, ao premir uma vez o botão do obturador, o espelho recolhe. Pode então aguardar um ou dois segundos até passarem as vibrações e, em seguida, premir novamente o botão do obturador para disparar o obturador.

Redução de ruído

As longas exposições podem aumentar o "ruído" de uma imagem. Este é responsável pela decomposição da imagem e pela destruição do detalhe. Todas as câmaras EOS recentes possuem uma funcionalidade de redução de ruído de longa exposição, que pode ser ativada no menu de definições da câmara.

A câmara remove então grande parte do ruído ao gravar a imagem no cartão de memória. No entanto, este processo demora o mesmo tempo que a exposição, por isso, uma exposição de dois minutos demora dois minutos adicionais até apresentar a sua imagem no ecrã de revisão. Durante este tempo, não será possível tirar outra fotografia.

Recomendamos a utilização do RAW para fotografias noturnas, uma vez que permite um maior ajuste da imagem com o software Digital Photo Professional (DPP) da Canon do que com ficheiros de qualidade JPEG. Também lhe permite desativar a funcionalidade de redução de ruído de longa exposição e aplicar a redução de ruído no DPP.

Motivos

Agora que compreende as técnicas, precisa de selecionar a iluminação e os motivos.

O curto período de crepúsculo, logo após o pôr do sol, pode ser muito eficaz. O céu ainda está iluminado em redor do horizonte, embora o sol já não esteja visível. Quando o sol está baixo no céu, a luz emitida é muito mais quente do que a luz emitida pelo sol do meio-dia e, por esse motivo, conseguem ver-se cores maravilhosas à hora do crepúsculo. Também é possível assistir a efeitos semelhantes ao nascer do sol. Por isso, se o motivo não estiver na posição correta para tirar partido do crepúsculo, tente levantar-se cedo e verifique se é melhor fotografar quando o sol se encontra no lado oposto.

Nas cidades, as luzes transformam-se frequentemente no próprio motivo. Experimente fotografar sinais de néon, iluminações e edifícios iluminados. Fotografe com exposições diferentes para ver todos os resultados possíveis. Fotografar imediatamente após um temporal duplica o interesse, uma vez que as luzes são refletidas nas ruas molhadas e nas poças de água.

O fogo de artifício também constitui um motivo excelente. O procedimento padrão consiste na definição de uma velocidade de obturador mais lenta para captar os rastos e explosões. Coloque a câmara em modo manual (M) e escolha uma abertura entre f/8 e f/16 e uma velocidade do obturador entre 5 e 10 segundos. A velocidade do obturador depende em grande medida da frequência de explosão do fogo de artifício.

Embora seja possível que a câmara consiga focar automaticamente, a escuridão poderá colocar um problema. Por isso, é melhor colocar a objetiva no modo manual (MF) e focar um objeto que esteja à mesma distância que o fogo de artifício.