FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

Captar movimento com exposições longas: sugestões do vencedor do Desafio Redline

Piotr Skrzypiec, vencedor do Desafio Redline "Luz no escuro" de 2021, explica como tornar as suas paisagens mais dinâmicas ao fotografar magníficos rastos de luz.
Canon Camera
Guia turístico de dia, fotógrafo de rastos de luz à noite, Piotr Skrzypiec utiliza o seu conhecimento de locais espetaculares e técnicas de exposição longa para criar fotografias de paisagens deslumbrantes na Eslovénia e em todo o mundo. Portanto, é de se esperar que tenha sido nomeado vencedor do primeiro desafio Canon Redline.

O concurso de fotografia teve como objetivo impulsionar as competências de fotógrafos amadores com a instrução "luz no escuro". Três das imagens de Piotr foram incluídas na seleção final do júri e a sua fotografia atmosférica de um viaduto coberto de nevoeiro foi selecionada como a grande vencedora.

O Piotr utilizou uma exposição mais longa para transformar os faróis nítidos de automóveis em movimento em faixas de cor sinuosas. Exposição longa refere-se à captação com velocidades de obturação lentas, que podem variar entre segundos e horas, e resulta na desfocagem de objetos em movimento. A técnica não requer uma câmara ou objetiva especializada e os resultados podem ser fantásticos. Além do movimento de desfocagem, as exposições longas são boas para maximizar a luz que entra na câmara com o objetivo de reduzir o ISO, o que melhora a qualidade da imagem.

Aqui, o Piotr revisita os locais das suas outras fotografias e oferece as suas sugestões sobre como tirar fotografias semelhantes com rastos de luz.

1. Não fotografe à noite

Rastos de luz à noite numa estrada que serpenteia por uma colina arborizada coberta de neve em direção a uma série de edifícios brancos com telhados cinzentos.

O Piotr diz que tirar fotografias de rastos de luz é relativamente simples. "Só precisa de equipamento fotográfico padrão, de um tripé e de um bom local", afirma. "Não é complicado captar este tipo de imagens e o resultado visível no seu LCD é sempre fantástico. Às vezes nem precisa de editar as imagens porque já são fantásticas por si só!" Tirada com uma Canon EOS 5D Mark IV com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/2.8L IS USM (agora substituída pela Canon EF 16-35mm f/2.8L IS III USM) a 18 mm, 25 seg., f/11 e ISO 1000. © Piotr Skrzypiec

O crepúsculo é uma hora muito melhor para tirar fotografias com rastos de luz do que a meio da noite, pois o céu ficará escuro, mas ainda terá cor suficiente para manter as coisas interessantes. Se o céu ficar preto e sem características distintivas, a fotografia pode parecer "pesada". Por isso, comece a fotografar quando existe luz ambiente suficiente para captar edifícios, colinas e outras partes do cenário. "O mais importante são aqueles 20 minutos no final da «hora azul».", afirma Piotr. "Mais tarde do que isso, as sombras ficarão demasiado escuras e as luzes demasiado brilhantes para criar uma fotografia equilibrada."

2. Faça a sua pesquisa

Rastos de luz numa estrada em forma de coração, com luzes douradas e vermelhas a irradiar dos faróis dianteiros e traseiros

O trânsito é um ingrediente essencial, mas poderá ter de o criar. "Quando está na estrada, é óbvio que há carros a passar regularmente. No entanto, não é esse o caso nesta estrada específica em forma de coração. Quando estava a fotografar esta estrada em 2014, esperei duas horas, a rezar que passasse um carro. Por isso, para esta sessão fotográfica, pedi à minha mulher que conduzisse o nosso carro pela estrada!" Tirada com uma Canon EOS 5D Mark IV com uma objetiva Canon EF 24-105mm f/4L IS USM (agora substituída pela Canon EF 24-105mm f/4L IS II USM) a 50 mm, 30 seg., f/8 e ISO 800. © Piotr Skrzypiec

Pode parecer óbvio, mas certifique-se de que a estrada que escolheu está visível na altura do ano em que pretende fotografá-la. Uma cena pode parecer promissora no inverno, mas no verão pode haver árvores a bloquear a melhor vista.

"É sempre bom encontrar um local elevado para fotografar, que lhe permitirá ver a estrada claramente.", sugere Piotr. "Há alguns anos, voltei a este local a meio do verão. Apesar de ser possível distinguir a forma de coração da estrada à noite por causa dos rastos de luz, era difícil vê-la claramente por causa da vinha. Desde então, foram realizadas muitas melhorias. Existe uma nova plataforma para fotógrafos com espaço suficiente para, pelo menos, 10 tripés. E também apararam a vinha que estava em primeiro plano, por isso, a bonita forma da estrada está mais visível."

3. Planeie a sua composição

Rastos de luz numa estrada de montanha sinuosa à luz do entardecer, claramente visíveis à distância.

A segurança é uma prioridade quando se trata de fotografar perto de uma estrada no escuro. "Vista um colete de alta visibilidade e utilize uma lanterna para se certificar de que está visível", afirma Piotr. "Nenhuma fotografia é mais importante do que a sua integridade física. Por isso, certifique-se de que posiciona o tripé em segurança, especialmente se estiver a fotografar a partir de uma ponte ou de outro ponto elevado." Tirada com uma Canon EOS 5D Mark IV com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/2.8L USM a 24 mm, 562 seg., f/9 e ISO 200.

Mesmo que vá tirar as suas fotografias ao anoitecer, prepare tudo com a luz do dia para ter bastante tempo para enquadrar a sua imagem. "Quando quiser tirar uma boa fotografia, tem de pensar sobre o fundo e o primeiro plano e sobre como irá preencher estas áreas.", aconselha Piotr.

"É também uma boa ideia pensar nos rastos de trânsito como uma linha de orientação que conduz os olhos do primeiro plano até ao fundo. A melhor oportunidade para fazer isto é ter a sorte de encontrar uma estrada em S que atravesse a cena em direção a uma igreja ou uma montanha, por exemplo, ou um ponto focal igualmente óbvio."

4. Mantenha as suas imagens nítidas

Um rapaz a usar uma câmara Canon montada num tripé, a fotografar uma vinha a partir de um ponto elevado.

O Piotr levou o seu filho Jurek para a sessão fotográfica da Herdade Dreisiebner, onde lhe explicou a importância da utilização de um tripé robusto. Sem prática, segurar a câmara com a mão com uma velocidade do obturador mais lenta pode produzir uma imagem com trepidação. A utilização do temporizador de dois segundos, tal como o Piotr faz, evita qualquer vibração da câmara quando prime o obturador, mas também pode utilizar um disparo remoto do obturador, como o telecomando sem fios Canon RC-6, o telecomando Canon RS-60E3, o telecomando sem fios Canon BR-E1 ou através da aplicação Camera Connect da Canon.

Para garantir que as partes imóveis da sua imagem permanecem nítidas na fotografia final, terá de bloquear a câmara na devida posição sobre um tripé e evitar tocar nela durante a exposição. "Utilizo simplesmente o temporizador automático de dois segundos da câmara.", revela Piotr. "Assim, verifico simplesmente a composição, primo o botão e, dois segundos depois, a exposição começa."

As gamas de câmaras mirrorless e DSLR da Canon oferecem uma função de temporizador automático. O Piotr também utiliza a função de bloqueio de espelho quando fotografa com câmaras DSLR com esta funcionalidade. Depois de ativada, esta função bloqueia o espelho e atrasa o início da exposição, reduzindo a possibilidade de que quaisquer vibrações no interior da câmara retirem a nitidez da imagem. "No entanto, com uma câmara mirrorless, não tem este problema, porque esta não tem um espelho!", explica Piotr.

5. Fotografe durante ainda mais tempo

Uma fotografia de grande plano de rastos de luz numa estrada em forma de coração, com um edifício com azulejos vermelhos e a vinha circundante claramente visíveis.

"Nesta estrada específica em forma de coração, necessita de uma exposição de, pelo menos, 30 segundos", explica Piotr. "Isto porque 30 segundos é o tempo que demora a percorrer o comprimento total da estrada num veículo, assumindo que não é um piloto de F1! Para captar as suas próprias fotografias de rastos de luz, cronometre quanto tempo demora um veículo a percorrer o comprimento da estrada e defina esse tempo como a velocidade do obturador. Em seguida, ajuste a abertura e o ISO até obter o nível certo de luminosidade. Tirada com uma Canon EOS 5D Mark IV com uma objetiva Canon EF 24-105mm f/4L IS USM a 88 mm, 30 seg., f/9 e ISO 1000. © Piotr Skrzypiec

A capacidade de controlar a duração da exposição é essencial. Todas as câmaras EOS – desde a Canon EOS 4000D até à Canon EOS 5D Mark IV – permitem-lhe captar uma exposição de até 30 segundos. O modo de prioridade ao obturador (Tv) permite-lhe definir um tempo de exposição (velocidade do obturador) preciso, com a câmara a ajustar automaticamente a abertura. Em seguida, pode definir o ISO de acordo com a cena.

Fotografar no modo manual (M) permite-lhe controlar a abertura para alcançar também o nível perfeito de nitidez. Para personalizar ainda mais as suas definições, a gama de câmaras mirrorless Full-Frame da Canon, como a Canon EOS RP, também inclui um modo de valor flexível (Fv). Este é, no fundo, um modo totalmente automático que lhe permite assumir o controlo da velocidade do obturador, da abertura e/ou do ISO em qualquer ponto.

Terá de utilizar o modo "Bulb" para exposições superiores a 30 segundos. Algumas câmaras EOS têm uma opção "B" no seletor de modos, mas noutras tem de selecionar o modo manual e passar além dos 30 segundos na definição de velocidade do obturador.

6. Configuração de uma exposição

Apesar de, como é óbvio, necessitar de uma exposição relativamente longa para representar as luzes dos carros como rastos longos a serpentear pela imagem, a duração precisa varia. Piotr explica: "Tudo depende do tipo de estrada e da densidade do tráfego. Normalmente, numa autoestrada, não precisa de uma exposição de 30 segundos, pois há muitos carros e muitos rastos de luz. Mas existem alguns locais mais sossegados onde apenas uma exposição muito longa irá funcionar.

"Tento utilizar sempre uma abertura de f/8 ou f/11. Normalmente, não é bom ter uma abertura superior a f/8, uma vez que partes da fotografia podem não ficar nítidas. Se tiver de aumentar o ISO para algo como ISO800, não há problema. Se a imagem ficar com grão, pode tratar disso quando editar a fotografia. Nas câmaras mais recentes, como a Canon EOS R5 que recebi como prémio, o ISO800 não é nada e não vejo qualquer grão na imagem com esta definição". O intervalo de ISO da EOS R5 varia entre ISO 100 e 51200 e, por isso, o ISO 800 é uma sensibilidade relativamente baixa que proporciona uma excelente qualidade de imagem em condições de pouca luz.

7. Escolha o kit certo

Rastos de luz numa estrada de duplo sentido, vermelho numa direção, ouro branco na outra, a passar por árvores despidas sob uma cordilheira coberta de neve à noite.

Um problema comum é ver pausas nos rastos de luz, onde os carros pararam ou não percorreram o comprimento total da estrada. "Pode corrigir este problema com uma exposição mais longa", afirma Piotr. "Se 30 segundos não forem suficientes, mude para o modo "Bulb" e utilize um comando à distância para manter o obturador aberto durante o tempo necessário". Tirada com uma Canon EOS 5D Mark IV com uma objetiva Canon EF 100-400mm f/4.5-5.6L IS USM a 100 mm, 30 seg., f/10 e ISO 100. © Piotr Skrzypiec

Não precisa de utilizar uma objetiva profissional da série L para tirar fotografias com rastos de luz com aspeto profissional. Uma objetiva compacta e leve, como a Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM ou a RF 35mm F1.8 Macro IS STM, será mais fácil de transportar, e proporciona imagens nítidas e detalhadas.

"De modo geral, irá utilizar uma abertura bastante pequena para obter uma imagem nítida, por isso, não precisa necessariamente de uma objetiva com uma abertura máxima rápida, como f/1.8 ou f/2.8.", explica o Piotr. "Utilizo sempre objetivas de zoom, uma vez que estas oferecem mais opções para enquadrar uma cena, mas a escolha da objetiva não é tão importante como outros aspetos, como a utilização de um tripé e o volume de tráfego. Apenas precisa de nitidez, só isso!"

E é tudo. Fotografar rastos de luz é uma excelente forma de aprender a assumir o controlo da exposição e utilizar a fotografia para captar algo que não é visível a olho nu. Também é muito pouco exigente no que diz respeito ao equipamento de câmara, mas as recompensas podem ser imensas – basta perguntar ao Piotr!
Visite o nosso centro do Desafio Redline para ver as participações selecionadas como finalistas e obter mais sugestões e conselhos dos profissionais.
Escrito por Marcus Hawkins

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • TÉCNICAS DE LUZ

    Fotografia de pintura com luzes

    Não precisa de equipamento especializado para pintar com luz. Basta um pouco de prática. Descubra como se tornar criativo com a luz à noite.

  • A river flowing through a landscape of mossy rocks.

    NOÇÕES BÁSICAS DE FOTOGRAFIA

    Aprenda a utilizar corretamente a exposição

    Descubra como ajustar a quantidade de luz nas suas imagens para alterar o aspeto das suas fotografias.

  • Long exposure photography

    FOTOGRAFIA DE EXPOSIÇÃO

    Fotografia de longa exposição

    Aprenda a utilizar uma velocidade de obturação lenta para captar o movimento suave da água ou rastos de luz.

  • Rastos de luz suspensos em movimento perto de um autocarro numa rua movimentada em Madrid, Espanha.

    FOTOGRAFIA COM MOVIMENTO

    Captar movimento na fotografia

    Descubra como captar movimento e acrescentar uma sensação de movimento às suas imagens.