O protetor de ornitorrincos que inspira a preservação em toda a Austrália

4 mín.
Um homem com cabelo branco agachado na margem de um riacho a apontar uma câmara Canon com uma teleobjetiva branca para a água corrente.

No website, porta-chaves, embalagens de autocolantes e cartões de felicitações encontram-se ao lado de bonitas impressões fotográficas dos ornitorrincos de Hobart, na Tasmânia, Austrália. Cada impressão tem como título o respetivo nome: Little, Scoot, Rolo, Zoom, Fern e muito mais. Porque quando se gosta de um animal, damos-lhe um nome, certo? Além disso, estes animais são verdadeiramente amados, razão pela qual Pete Walsh, fundador da organização comunitária Hobart Rivulet Platypus (HRP), quer fazer tudo o que estiver ao seu alcance para proteger e preservar esta importante população em vias de extinção.

O seu trabalho vai muito além da angariação de fundos, embora tenha sido um prémio de 10 000 dólares do Canon Grants Programme na Austrália que, mais uma vez, colocou Pete e os ornitorrincos de Hobart no centro das atenções. Há dezassete anos que submete organizações como a de Pete à votação do público, tendo já atribuído mais de meio milhão de dólares. No ano passado, o público votou para que a HRP recebesse o cobiçado "Pacote de desenvolvimento de conteúdos", que irá fornecer equipamento e financiamento para a produção de uma curta-metragem chamada Becoming Platypus (Ser um ornitorrinco), ajudando este adorado grupo cívico a aumentar ainda mais a sensibilização para estes fascinantes e bonitos animais, que só podem ser encontrados em estado selvagem na Austrália.

Pete descobriu a sua paixão por ornitorrincos em 2020, quando foram implementadas restrições às deslocações, ficando limitado a um raio de 5 km da sua casa. Assim, o Hobart Rivulet, um pequeno curso de água que atravessa a sua cidade, tornou-se um local para caminhadas regulares. No entanto, numa das suas caminhadas, Pete fez uma descoberta terrível: um ornitorrinco com dificuldades em desenvencilhar-se de uma teia de redes de plástico descartadas. Conseguiu libertar o animal com cuidado, mas a experiência abalou-o de tal forma que criou a organização comunitária Hobart Rivulet Platypus para tentar mudar o estado deste curso de água essencial. O ornitorrinco, agora chamado Zoom, é saudável e está imortalizado nas magníficas impressões de Pete na loja de angariação de fundos da HRP.

Um ornitorrinco a nadar na água castanha, ao lado das paredes de betão do afluente.

O Hobart Rivulet atravessa a cidade e a visão de ornitorrincos a nadar é comum para os residentes locais.

Nos anos que se seguiram, Pete aprendeu tudo o que podia sobre a população de ornitorrincos e partilhou esse conhecimento com a sua comunidade para a inspirar a aderir à sua missão. O ornitorrinco é uma criatura incomum, um carnívoro de água doce e um dos últimos monotremados (mamíferos que põem ovos) existentes na Terra. Não são apenas fascinantes para os conservacionistas e os amantes dos animais, mas o seu veneno – sim, libertam veneno! – é visto pelos cientistas como tendo o potencial de nos ajudar a aprender mais sobre o tratamento da diabetes!

Por este motivo, as visitas educativas de Pete às escolas e empresas são verdadeiramente importantes. Assim como o são as suas campanhas sobre ações simples, mas eficazes, que podem evitar que os resíduos acabem nos cursos de água, e consequentemente, provoquem ferimentos na população de ornitorrincos, aos quais Pete deu nomes por já os considerar família. As medidas pelas quais luta são tão simples que têm uma campanha cativante associada às mesmas: Seize it, Snip it, Bin it! (Apanhar, cortar, eliminar!) Estas ações fáceis e necessárias poderiam ter evitado uma tragédia quando um ornitorrinco chamado Larila (a palavra para ornitorrinco em palawa kani, a língua aborígene da Tasmânia) morreu emaranhado em resíduos no riacho.

Larila’s Legacy e Seize it, Snip it, Bin it! tornaram-se fundamentais para o programa educativo da organização em torno da eliminação segura de resíduos, pedindo aos residentes que eliminem os resíduos de forma eficaz e cortem tudo o que possa ferir um animal. Também fazem campanhas para que os caixotes de resíduos domésticos possam ser fechados para evitar que resíduos perigosos cheguem ao riacho. O próprio Pete leva consigo uma tesoura para onde quer que vá, recolhendo regularmente lixo e cortando tudo, desde fitas para o cabelo a sacos de plástico descartados, para que os ornitorrincos e outros animais não fiquem emaranhados.

Um ornitorrinco na mão esquerda de uma pessoa não identificável vestida com umas jardineiras azuis.

A trágica perda de Larila foi o catalisador do programa Larila’s Legacy (Legado de Larila) e da campanha Seize it, Snip it, Bin it! da HRP.

A cabeça e a pata de um ornitorrinco enquanto espreita por cima de um tronco.

O Zoom é apenas um dos muitos ornitorrincos que conquistaram os corações da Austrália através do trabalho de sensibilização de Pete.

No ano passado, Pete e os ornitorrincos do Hobart Rivulet conquistaram um enorme novo grupo de fãs depois de participarem num popular documentário da ABC chamado The Platypus Guardian (O protetor de ornitorrincos). Como tal, graças a essa visibilidade e ao enorme número de votos que a sua organização obteve no Canon Grants Programme, ficou claro que o amor por estes animais se estendia a toda a Austrália. "Algo que a votação do Canon Grants Programme demonstrou foi que as pessoas um pouco por toda a Austrália adoram ornitorrincos", afirma Pete, convidado do podcast Spotlight on Tasmania. "Acho que têm uma aura de mistério à sua volta. Tratam-se de criaturas tão improváveis que a maioria das pessoas raramente os vê."

A bolsa significa que Pete pode continuar o seu trabalho de sensibilização através de fotografia e vídeo, utilizando os produtos Canon que também fazem parte da bolsa para documentar a poluição e os danos ao habitat nas redes sociais, bem como em projetos mais ambiciosos, como a produção da curta-metragem Becoming Platypus. Esta curta-metragem dá continuidade ao que o documentário The Platypus Guardian retratou, proporcionando mais um raro vislumbre do seu mundo secreto e contando a história de dois ornitorrincos fêmeas adultos e os desafios que as suas criam enfrentam. 

Com o apoio da bolsa da Canon, Becoming Platypus tem lançamento previsto para 2024 e, como é compreensível, Pete está muito entusiasmado com as reações do público, na sequência de uma onda de positividade esmagadora em relação a todo o seu trabalho até agora. "Esperamos que, uma vez lançado, Becoming Platypus desempenhe um papel importante nos programas de educação sobre os ornitorrincos em toda a Austrália", afirma. "Estamos gratos à comunidade e à Canon Oceania por esta honra. Juntamente com os nossos amigos monotremados, não podíamos estar mais agradecidos!" 

Durante 17 anos, o Canon Grants Programme na Oceania tem apoiado organizações que procuram melhorar o futuro das comunidades, da educação e do ambiente. O ano que celebra 50 anos da presença da Canon na Oceânia está a ser incomparável, tendo recebido um número recorde de candidaturas.

Todos os vencedores deste ano, incluindo a HRP, estão entre um grande número de organizações incríveis que fazem uma enorme diferença nas suas comunidades locais. As bolsas atribuídas pela Canon Oceania ajudam-nas a continuar o seu excelente trabalho, enquanto os produtos Canon que recebem também ajudam a amplificar as suas vozes e a partilhar as suas mensagens com um público muito mais vasto.

Relacionado

  • Um tomógrafo Canon Medical Aquilion ONE/PRISM Edition. Na superfície do tomógrafo encontram-se almofadas cobertas de plástico, sobre as quais estão os ossos fossilizados de um dinossauro.

    Descobrir as vidas secretas dos dinossauros

    Os paleontólogos do Museu Belga de Ciências Naturais estão a utilizar tomógrafos Canon Medical para explorar doenças e lesões em dinossauros fossilizados.

  • Um surfista, que está na sombra, atravessa uma onda épica

    Que haja... VIDA

    A Canon é mais do que o que está à vista. Continue a ler para descobrir como a nossa tecnologia está presente no seu dia-a-dia, muito além das impressoras e das câmaras

  • Um grande plano de cinco pólipos de coral. Têm tentáculos verdes de aspeto curto e suave com pontas azuis fluorescentes e dão a impressão de movimento subaquático.

    Dos subúrbios para o recife de coral

    Escondida num armazém, uma equipa de pessoas extraordinárias está a dar vida aos corais – tanto num sentido muito literal como nos corações e mentes das pessoas.