FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

As melhores sugestões para fotografar paisagens

Competências básicas de câmara e técnicas e conselhos de fotografia que o ajudarão a elevar as suas fotografias de paisagens a outro nível.
Canon Camera
Pode deparar-se com vários tipos de locais interessantes e cenas deslumbrantes quando sai de casa. Mas é preciso dedicação para encontrar locais dignos de serem fotografados. Então, quando encontra um local excelente, quer fazer justiça à sua beleza. Neste artigo, vamos analisar alguns dos erros de fotografias de paisagens mais comuns e como os resolver.

1. Composição das fotografias de paisagens: capte detalhes em primeiro plano

Uma fotografia de paisagem de uma árvore grande numa colina inclinada.

Embora esta imagem continue a ser uma boa fotografia de paisagem, utilizar um ângulo mais baixo podia produzir melhores resultados. Tirada com uma Canon EOS R6 com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 24 mm, 1/100 seg., f/16 e ISO 160.

Uma fotografia de paisagem de uma árvore grande numa colina inclinada, exibindo a relva com geada em primeiro plano.

Segurar a câmara numa posição ligeiramente mais baixa melhora os troncos gelados no primeiro plano desta imagem, conferindo interesse e profundidade a esta parte do enquadramento. Tirada com uma Canon EOS R6 com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 24 mm, 1/100 seg., f/16 e ISO 160.

Pense em como complementar cenários distantes com detalhes mais próximos. Muitas vezes referidos como pontos de interesse no primeiro plano, estes detalhes mais próximos podem melhorar espetacularmente a sua composição ao direcionar o olhar pela cena. Por outro lado, um primeiro plano vazio e aborrecido desperdiça uma grande parte do enquadramento.

Ao procurar conferir interesse ao primeiro plano, tente utilizar a Visualização direta e experimente segurar a câmara em diferentes posições para encontrar o melhor equilíbrio entre o primeiro plano e o cenário. Uma câmara com um ecrã de ângulo variável, como a Canon EOS RP, é prática para se baixar e aproximar-se do solo, o que é frequentemente necessário ao enquadrar pedras ou plantas. Incluindo objetos como este que se encontra à frente da cena, pode criar uma composição equilibrada. Mas lembre-se também de que nem todas as fotografias de paisagens precisam necessariamente de pontos de interesse no primeiro plano. Trata-se simplesmente de uma técnica de composição útil a que pode recorrer sempre que precisar.

2. Objetivas de paisagem: não utilize sempre uma objetiva grande-angular

Uma paisagem composta por campos verdes ondulantes separados por filas de árvores.

Um ângulo de visão estreito realça as cores fortes do final da tarde na cena distante. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 105 mm, 1/8 seg., f/16 e ISO 100.

Uma paisagem vasta composta por campos verdes ondulantes separados por filas de árvores, cobertos por nuvens.

Em contraste, a mesma paisagem, mas fotografada como uma vista mais ampla, oferece menos detalhes. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 24 mm, 1/8 seg., f/16 e ISO 100.

As objetivas grande-angular permitem-lhe captar toda a amplitude de uma cena lindíssima, mas nem todas as fotografias precisam de um campo de visão amplo. Por vezes, aumentar o zoom sobre detalhes distantes pode resultar em fotografias de paisagens mais interessantes. Uma objetiva de zoom standard, como a Canon RF 24-105mm f/4-7.1 IS STM utilizada aqui, tem um intervalo de focagem útil para principiantes em fotografias de paisagens. As nossas duas fotografias realçadas foram tiradas em ambos os limites do intervalo de 24-105 mm, por isso, se está apenas a começar a fotografar paisagens, esta objetiva é ideal para si. Quando chegar a altura de atualizar o seu equipamento, as objetivas da série L, como a Canon RF 24-70mm F2.8L IS USM, são o passo seguinte no que toca à proteção contra as condições atmosféricas e apresentam uma abertura máxima mais rápida. Mas para principiantes, o zoom standard permite-lhe captar cenas incrivelmente detalhadas.

3. Iluminação em fotografias de paisagens: escolha a altura do dia

Uma árvore grande num campo inclinado elevando-se acima das nuvens baixas.

Fotografar com luz solar direta pode, muitas vezes, provocar sombras confusas e demasiado contraste. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 35mm F1.8 MACRO IS STM a 1/80 seg., f/16 e ISO 125.

Uma árvore grande num campo inclinado elevando-se acima das nuvens baixas contra um pôr do sol rosa e roxo.

Esperar por uma luz mais suave no início ou no fim do dia pode produzir resultados mais atmosféricos. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 35mm F1.8 MACRO IS STM a 0,4 seg., f/16 e ISO 100.

A luz que usa para fotografar é uma escolha criativa, confere ambiente e pode elevar as fotografias de paisagens a outro nível. Um erro clássico é fotografar cenas sob uma luz solar intensa. Embora possa ser bom para destacar cores ousadas, normalmente resulta em cenas com demasiado contraste. Observe a diferença nestas duas imagens. A primeiro foi captada sob luz solar direta. Capta a cena, mas falta-lhe atmosfera. Os detalhes da árvore são uma distração, há uma desagradável faixa de sombra ao longo da parte inferior da moldura e até uma sombra em forma de fotógrafo desatento. Voltar à mesma cena mais tarde, quando a árvore está à sombra, resulta numa cena com menos detalhes, mas com mais atmosfera. Agora há cores no céu, a árvore cria uma silhueta arrojada e o cenário enevoado distante confere uma sensação mais dramática.

4. Mantenha as coisas niveladas: endireite o seu horizonte

Uma imagem de uma árvore sob um céu nublado aberta no Canon Digital Photo Professional.

Os horizontes inclinados são corrigidos com maior precisão na câmara utilizando as linhas de grelha ou o ecrã de nível, mas também os pode, facilmente, corrigir posteriormente com uma ferramenta de corte.

Uma imagem de uma Canon EOS RP num tripé, apresentando linhas de grelha e nível eletrónico no ecrã rotativo.

Para além de utilizar a grelha da regra dos terços para nivelar o horizonte, pode usar o ecrã de nível disponível em muitas câmaras, incluindo a Canon EOS RP.

Existem várias formas de garantir um horizonte nivelado enquanto fotografa. Ative a Visualização direta e utilize a grelha da regra dos terços para nivelar o horizonte. Se estiver a utilizar um tripé, poderá também recorrer ao útil nível de bolha de ar na cabeça. Mesmo com estas ferramentas, poderá ter de corrigir ocasionalmente uma imagem irregular. Isto é fácil de fazer no Canon Digital Photo Professional. Basta utilizar o cursor de ângulo nas definições da ferramenta de corte para corrigir a inclinação.

5. Mantenha a focagem: mantenha o primeiro plano e o fundo nítidos

Árvores com musgo numa floresta coberta por neblina.

Esta primeira imagem foi captada com uma abertura de f/4 e o fundo está visivelmente pouco nítido. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 35mm F1.8 MACRO IS STM a 1/160 seg., f/4 e ISO 100.

Uma imagem nítida de árvores com musgo numa floresta coberta por neblina.

Ao utilizar uma abertura estreita de f/16, tanto o primeiro plano como o fundo são captados com nitidez. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 35mm F1.8 MACRO IS STM a 1/80 seg., f/16 e ISO 800.

Muitas vezes, nas fotografias de paisagens, o objetivo é captar a cena completamente nítida da frente para trás, de forma a exibir a máxima quantidade de detalhes. Este procedimento é designado por profundidade de campo máxima. Para tal, tem de definir uma abertura estreita (valor de diafragma elevado). Os exemplos acima demonstram a diferença entre fotografar uma paisagem com uma grande abertura e com uma abertura estreita.

Na primeira imagem, foi utilizada uma abertura de f/4. A árvore em primeiro plano é nítida, mas a cena mais além está desfocada. No segundo enquadramento, uma abertura mais estreita de f/16 capta tanto o primeiro plano como o fundo de forma mais nítida. Se o objetivo for destacar uma característica-chave da paisagem, uma grande abertura pode ser bastante útil, mas, na maioria das vezes, é preferível utilizar uma abertura estreita e uma profundidade de campo máxima. Uma forma fácil de definir a abertura para captar paisagens é utilizar o modo de prioridade à abertura (AV) e, em seguida, definir uma abertura estreita, como f/16. Observe a velocidade do obturador: se ficar demasiado baixa, poderá ter de utilizar um tripé ou aumentar o ISO para evitar imagens desfocadas.

Para obter paisagens mais nítidas, também deve fotografar no "ponto ideal" da sua objetiva. Regra geral, a objetiva é mais nítida a duas f-stops da definição de abertura mais ampla. Por isso, se utilizar uma objetiva de f/2.8 na definição mais ampla, o seu ponto ideal nessa ótica será de cerca de f/5.6.

Um problema comum para os fotógrafos de paisagens é que podem focar algo no primeiro plano, mas arriscam que tudo o que está por trás fique pouco nítido. Por outro lado, se focarem em elementos do fundo, o primeiro plano fica desfocado. A focagem de distância hiperfocal ajuda-o a obter uma nitidez superior ao encontrar o ponto mais próximo no qual pode focar e manter o fundo com uma nitidez aceitável. Esta técnica não é tão complicada quanto parece, e a calculadora de profundidade de campo (DOF) e de distância hiperfocal da aplicação Guia de Fotografia faz todo o trabalho árduo por si.

6. Ângulos para fotografias de paisagens: não fotografe tudo ao nível dos olhos

Um fotógrafo agachado na praia para tirar uma fotografia de ângulo baixo de um farol vitoriano.

Um ângulo mais baixo cria uma composição mais forte ao melhorar os reflexos e estreitar a parte menos interessante da praia no enquadramento.

Um farol vitoriano é refletido na água na areia.

Um ecrã de ângulo variável permite-lhe compor a partir de alturas invulgares com facilidade. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 1/100 seg., f/11 e ISO 4000.

É comum fotografar ao nível dos olhos, mas pode nem sempre resultar na fotografia mais interessante. Experimente segurar a câmara numa posição elevada ou baixa para testar diferentes alturas, poderá descobrir ângulos mais interessantes. Os reflexos, por exemplo, ficam melhores se a câmara for mantida numa posição baixa em relação ao nível da água. É mais fácil se utilizar uma câmara com um ecrã de ângulo variável, como a Canon EOS RP, pois permite-lhe compor a partir de uma altura confortável enquanto mantém a câmara perto do chão ou acima da cabeça.


Escrito por James Paterson

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • Um fotógrafo de paisagens a olhar através do visor de uma Canon EOS RP para tirar uma fotografia de campos ondulantes.

    FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    Como fotografar paisagens sem tripé

    Aprenda a captar paisagens impressionantes sem um tripé.

  • A river flowing through a landscape of mossy rocks.

    NOÇÕES BÁSICAS DE FOTOGRAFIA

    Aprenda a utilizar corretamente a exposição

    Descubra como ajustar a quantidade de luz nas suas imagens para alterar o aspeto das suas fotografias.

  • Uma imagem do "antes" e do "depois" de uma paisagem pantanosa, não editada à esquerda e a preto e branco à direita.

    NOÇÕES BÁSICAS DE EDIÇÃO

    Como editar imagens de paisagens para impressão

    Técnicas de edição que transformarão as suas fotografias cénicas em obras de arte.

  • Trees reflect in a lake in Scotland with a mountain in the background

    FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    5 sugestões fantásticas para fotografar paisagens em time-lapse

    Dê vida às paisagens com estas sugestões fantásticas para fotografia em time-lapse.