FOTOGRAFIA DE AVENTURA

Beleza selvagem: cinco sugestões para melhorar as suas fotografias de aventura ao ar livre

O fotógrafo de estilo de vida, Jake Baggaley, vai explorar o gelo e a neve da Suécia e descobre a razão por que a EOS M6 Mark II é a melhor amiga de um aventureiro.
Canon Camera

O fotógrafo de atividades ao ar livre e de estilo de vida, Jake Baggaley, é um entusiasta da aventura. Como corredor de trilhos de competição e praticante de montanhismo empenhado, também se sente inspirado pelas paisagens escarpadas e pelo cenário dramático do mundo natural. "Cresci na New Forest [no sul de Inglaterra] e adorava estar ao ar livre", afirma Jake. "Também gostei sempre de fazer experiências com câmaras. O meu pai é professor de fotografia – durante a minha juventude tínhamos uma câmara escura na nossa cozinha – por isso, esses interesses combinaram-se naturalmente à medida que eu fui crescendo."

A corrida em trilhos proporcionou novos contactos a Jake e ajudou-o a conquistar um nicho. "Nunca planeei ser um fotógrafo de atividades ao ar livre e a maior parte do meu trabalho anterior foi na área do documentário social, mas foi assim que comecei a ter trabalho no setor da aventura ao ar livre", explica. Agora os clientes de Jake incluem The North Face, Another Escape e a Adidas.

Quando surgiu a oportunidade de fotografar paisagens cobertas de neve e lagos gelados no centro da Suécia em esquis e patins para gelo para a empresa de expedição sustentável Do The North, era o projeto perfeito para Jake. "Visitamos a região de Dalarna para a patinagem e o Parque Nacional Fulufjället para esqui fora de pista. Era realmente muito isolado e eu queria captar o gelo extenso e a paisagem vasta e remota", afirma.

Uma câmara leve era essencial, o que tornava a Canon EOS M6 Mark II compacta, com ecrã tátil inclinável de 180˚, Wi-Fi incorporado, vídeo de 4K e um sensor APS-C de 32,5 MP, a companheira ideal. Juntamente com a objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM, oferecia características técnicas poderosas num pacote pequeno e portátil.

Aqui, Jake demonstra como tirar o máximo partido da câmara durante aventuras, e mostra que é possível captar imagens impressionantes da natureza sem viajar para muito longe de casa.

1. Seja criativo, independentemente das condições meteorológicas

Um homem com um casaco amarelo patina num lago gelado. Uma igreja branca ao fundo está refletida no gelo.

Fazer experiências com reflexos pode criar alguns resultados interessantes.

Uma fila de huskies enroscados na neve. Pode ver-se um chalé coberto de neve ao longe.

Fotografar no exterior no inverno pode ser difícil devido ao brilho da neve, mas isto pode ajudar a criar composições interessantes e fazer com que o motivo se destaque.

"Estar nas montanhas é uma forma de nos sentirmos ligados ao ambiente", explica Jake. "Com a natureza, sinto-me entusiasmado por fotografar ao ar livre. Quando estou a correr no exterior estou sempre a pensar: 'Onde seria um bom local para fotografar?' Explorar o exterior no inverno pode criar oportunidades invulgares para ser criativo", afirma. "Faça experiências com ângulos, luzes e frontais para tornar o ambiente sombrio mais empolgante."

O inverno escandinavo escuro apresentou situações difíceis de iluminação ideais para desafiar as capacidades para condições de pouca luz da câmara de Jake, que tem um intervalo ISO de até 25 600. "Fiquei impressionado com a forma como a Canon EOS M6 Mark II lidou com as condições de pouca luz e como a grande abertura da objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM tornou mais fácil fotografar quando escureceu. Na Suécia, o período de luz de dia é curto por isso não tínhamos tempo suficiente para configurar nada. Era preciso tirar as fotografias durante o percurso."

Em ambientes com neve e muita luz, Jake sugere mudar para modo manual para evitar perder detalhes. "O medidor da câmara quer tentar escurecer tudo porque está a apanhar branco em todos os ângulos. É melhor fotografar em modo manual para ter controlo total sobre o brilho sem apagar a neve.

E porque não tentar fotografar silhuetas? "Um dos aspetos agradáveis da neve é poder obter silhuetas nítidas de árvores", afirma. "As sombras na neve criam diferentes tons de branco, que são ótimos para fazer experiências."

2. Simplifique o seu kit

Uma mulher com uma mochila laranja a caminhar numa paisagem coberta de neve.

A EOS M6 Mark II era a câmara ideal para as fotografias de Jake. Por ser leve e compacta, podia aceder-lhe facilmente durante a viagem.

Durante a fotografia de aventura, a sua câmara tem de ser facilmente acessível e rápida a reagir, senão pode perder aqueles momentos espontâneos. A Canon EOS M6 Mark II pesa apenas 408 g e consegue captar com velocidades de até 14 fotogramas por segundo (fps).

"O que me entusiasmou na Canon EOS M6 Mark II foi o seu tamanho e leveza", afirma Jake. "Fizemos algum esqui fora de pista intensivo e patinamos em lagos gelados. Ter muito equipamento volumoso e pesado atrasa o processo, mas como estávamos a fotografar ação, a taxa de fotogramas rápida da Canon EOS M6 Mark II era ideal. Fixei a câmara na parte da frente do meu saco e isso foi adequado para as condições extremas, porque não tinha de parar, tirar as luvas e abrir um saco."

3. Aumente o interesse com pessoas ou detalhes

Um homem com um casaco amarelo caminha na neve em direção a um chalé triangular.

Jake sugere incluir pessoas nas imagens para introduzir uma sensação de escala.

As pernas de dois patinadores, os seus corpos fora do enquadramento. O par reflete-se no gelo que tem um padrão criado pelas marcas dos patins.

O padrão e as marcas dos patins no gelo ajudam a tornar esta composição mais interessante, tal como os reflexos dos dois patinadores.

"Tento transformar o que podia ser uma fotografia simples em algo um pouco mais emocionante acrescentando um elemento humano", afirma Jake. "Ter uma pessoa a interagir com a paisagem mostra a escala."

"Adorei os reflexos no gelo e as linhas criadas pelos nossos patins. Queria usar as marcas dos patins para acrescentar algo à composição e tornar as fotografias mais interessantes."

Jake usou o modo de sequência de disparos em RAW de 30 fps da Canon EOS M6 Mark II para fixar patinadores no enquadramento à medida que deslizavam até aparecerem. "Se tivéssemos pouco tempo para fotografar, mas eu tivesse uma cena realmente boa, usava o modo de sequência de disparos de 30 fps para garantir que tinha o corpo do patinador exatamente onde queria. Isso foi muito útil – e podia confiar na focagem automática."

4. Escolha uma objetiva versátil

Três patinadores com mochilas atravessam um grande lago gelado. Ao longe avistam-se cumes cobertos de neve.

A objetiva nítida Canon EF-M 32mm f/1.4 STM permitiu a Jake fotografar paisagens extensas mantendo grandes planos detalhados e evitando a distorção.

Os detalhes e a nitidez são essenciais para uma excelente fotografia de aventura. A objetiva extremamente nítida Canon EF-M 32mm f/1.4 STM tem distância focal standard equivalente a 50 mm e pode captar cadeias de montanhas dramáticas bem como os detalhes intricados de patins, botas e rodas. Por isso, seja o que for que surja na sua aventura, só tem de levar uma objetiva.

"Aquela distância focal equivalente a 50 mm foi a minha preferida para estas fotografias ao ar livre porque permite captar toda a paisagem com uma pessoa pequena [no enquadramento] sem a distorção super grande angular que se vê às vezes", afirma.

"É uma distância focal agradável abrangente para fotografias de paisagens alargadas e para detalhes próximos com uma reduzida profundidade de campo. Pode ser usada para tudo."

5. Tire partido da luz do inverno

Três praticantes de esqui de fundo atravessam uma paisagem coberta de neve. Os raios de sol iluminam um poste atrás deles.

Jake sugere fazer experiências com a luz do inverno para tornar mais interessante uma cena que de outro modo seria sombria.

Uma fotografia tirada com um drone de um homem a caminhar entre coníferas numa paisagem coberta de neve. Atrás dele pode ver-se um rasto de pegadas na neve.

A luz dourada frequente em dias de sol durante o inverno escandinavo ajuda a criar sombras longas marcantes.

Onde quer que esteja – de florestas a falésias – a magia de um nascer do sol no inverno proporciona sempre fotografias fantásticas. E há uma razão para o espetáculo ser preferido por fotógrafos de aventura como Jake. "Aquilo de que mais gosto num nascer do sol no inverno é que acontece entre as 9 e as 10 da manhã, e não entre as 3 e as 4 da manhã. Por isso, pode ser preguiçoso e mesmo assim sair a tempo para fotografar um nascer do sol no inverno. Muitas vezes, num dia de sol no inverno, o sol está sempre baixo, e consegue aquela luz suave intensa mas com sombras longas e profundas", afirma.

Incluir luz dourada espetacular em vídeos de 4K das suas aventuras é simples com a Canon EOS M6 Mark II, e Jake descobriu que podia editar e combinar as filmagens com vídeo de 4K gravado com a Canon EOS R Full-Frame. "As filmagens da Canon EOS M6 Mark II adaptavam-se a filmagens gravadas com a Canon EOS R. Podia usá-las juntas e o aspeto era extremamente nítido."

Escrito por Lorna Dockerill

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    À procura da aurora boreal

    Junte-se a Markus Morawetz e à sua família numa viagem de 9000 km com a Canon EOS R.

  • FOTOGRAFIA DE AÇÃO

    "Vá sempre mais além"

    O fotógrafo Richard Walch sobre as suas fotografias deslumbrantes de desportos radicais.

  • FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    5 sugestões fantásticas para fotografar paisagens em time-lapse

    Dê vida às paisagens com estas sugestões fantásticas para fotografia em time-lapse.

  • FOTOGRAFIA DE INVERNO

    Como tirar melhores fotografias de inverno

    Tire o máximo partido desta estação maravilhosa com o fotógrafo Vladimir Medvedev.