Laura Bingham pictured from behind, facing dense jungle, as she films a vlog with a Canon PowerShot G7 X Mark II.

Vlogues de viagem

Como gravar um vlogue durante uma aventura: conheça a mulher que conquistou a Amazon com uma câmara

Em 2018, a exploradora britânica Laura Bingham liderou uma expedição inédita a nível mundial até à nascente do Rio Essequibo, na Guiana, juntamente com as aventureiras Ness Knight e Pip Stewart, descendo depois o rio em caiaque até ao Oceano Atlântico. Tendo sido mãe há pouco tempo, a Laura sentiu-se compelida a fazer algo de extraordinário para manter o seu estatuto de aventureira. Durante o seu desafio de 72 dias, encontrou rápidos, cascatas e cobras venenosas, tendo documentado tudo com uma Canon PowerShot G7 X Mark II*.

O Rio Essequibo é o maior da Guiana e o terceiro maior de toda a América do Sul, estendendo-se por mais de 1000 quilómetros da nascente até à foz, vagueando por florestas densas e planícies abertas. Funciona como elemento vital para as vidas dos indígenas Wai Wai, que ajudaram a Laura e a sua equipa ao longo da viagem, assim como de todos os tipos de vida selvagem, incluindo o esquivo jaguar. Durante 72 dias, também deu apoio à Laura: a aventureira dormiu numa rede nas suas margens, ao lado de um caimão predador com três metros de comprimento, e pescou nele para subsistir.

Mantendo a concentração no desafio físico e emocional de completar a viagem, a Laura e a sua equipa dispuseram-se a contar uma história de resistência humana e a relatar a sua viagem sustentável e autoalimentada. Fizeram-se acompanhar por um fotógrafo e cineasta em algumas secções da viagem, mas tiveram de confiar nas suas próprias capacidades de captação de imagens e em três câmaras Canon PowerShot G7 X Mark II para documentar os momentos mais privados diretamente para a câmara**.

Neste artigo, descobrimos o que é preciso para gravar um vlogue durante uma aventura quando estamos exaustos, que equipamento será mais adequado para o desafio e por que razão é importante dedicar tempo a contar a nossa história.

A group photograph by Jon Williams of the expedition members in the Guyana jungle.

O que a inspirou a enfrentar o Essequibo?

"Depois eu e o meu marido" – o também aventureiro e apresentador de televisão Ed Stafford – "termos tido o nosso filho, fiquei assustada com a hipótese de perder a minha identidade. Tive receio de que todas as minhas aventuras fossem esquecidas e permanecessem no passado à medida que me dedicava ao papel de mãe. Falei com o Ed sobre isto e ele disse casualmente: "O Essequibo nunca foi descido e é incrível, parece uma selva da Disney". Assim que ouvi as palavras "Disney" e "nunca foi descido", disse: "Obrigada pela ideia, é minha agora!" Rindo com entusiasmo, fugi dele diretamente para o escritório, onde comecei a investigar."

Laura photographs her husband Ed Stafford playing with their son on a beach.

Que história queria contar?

"Eu, a Ness e a Pip temos motivos semelhantes para partirmos à aventura. Gostamos realmente de uma experiência humana. Estávamos a tentar destacar os benefícios das viagens alternativas sustentáveis, ao mesmo tempo que nos desafiávamos fisicamente. "Também pretendíamos destacar as consequências do impacto humano no meio ambiente. O rio nasce na floresta virgem mas, à medida que avançamos, atravessa partes da floresta tropical que os humanos desvirtuaram com a exploração mineira e o abate de árvores. Nestes locais, a água passa de limpa a pútrida, com fezes humanas e lixo a sujarem a água, e toda a equipa desenvolveu eczemas e abcessos no corpo. Para nós, era importante documentar isto tão minuciosamente quanto possível."

Artigos relacionados
Two women pose in front of a camera in a clothes shop.

VLOGUES

Partilhe a sua paixão e personalidade: como começar a gravar vlogues hoje mesmo

Iniciar um vlogue é divertido e gratificante. Basta seguir as nossas sugestões para vlogues e aprender a captar imagens deslumbrantes para agradar aos espetadores.

Adventurer Ness Knight sits on a jungle riverbank filming herself with a Canon PowerShot G7 X Mark II.

VLOGUES

As melhores câmaras Canon para vlogues

Deseja começar a dar os primeiros passos no mundo dos vlogues? Descubra as melhores câmaras para vlogues e consiga uma impressionante qualidade de vídeo e todo o controlo de que necessita para criar um vlogue fantástico.

Laura and Ness Knight use a Canon PowerShot G7 X Mark II to film themselves in front of a tent in the jungle, inside which Pip Stewart is sitting.

Como planearam contar a história?

"Ao todo, temos 150 000 ou 160 000 seguidores nas redes sociais, pelo que sabíamos que tínhamos um bom público que responderia bem. Mas também queríamos transmitir pessoalmente as nossas próprias emoções naturais diretamente para a câmara e, para isso, utilizámos a Canon PowerShot G7 X Mark II", afirma a Laura, que faz publicações no Instagram em @laurabingham93.

"Cada uma de nós precisava de ter uma câmara compacta, para que pudéssemos escapar-nos quando ninguém estivesse a ver e relatar o nosso estado de espírito. Isto permitiu tornar a experiência mais honesta do que se fizéssemos uma entrevista com a equipa de filmagem. Mantivemos as nossas câmaras nos bolsos ou sacos para garantir fácil acesso e pudemos filmar em todas as oportunidades."

Quais são os maiores desafios na criação dos vídeos ao ar livre das suas aventuras?

"Quando estamos empenhados em completar um desafio de forma tão emocional e física, é fácil esquecermo-nos de tirar fotografias ou gravar vídeos. Isto aplica-se especialmente a mim, porque queria mesmo terminar o desafio e voltar para a minha família. Dito isto, começámos esta viagem para contar uma história e produzir conteúdos não só para nós próprias, mas também para os nossos patrocinadores. Por isso, tivemos de o fazer. Poder tirar a PowerShot G7 X Mark II do bolso e pô-la imediatamente em ação foi essencial para que, durante o resto do tempo, pudéssemos concentrar-nos apenas na difícil tarefa de avançar o mais rápido possível."

Ness Knight sits on a sandy riverbank filming a vlog with a Canon PowerShot G7 X Mark II.

O que levou mais em conta ao escolher as câmaras?

"Descobri que a quantidade de peso que transportamos é inversamente proporcional à quantidade de diversão que vamos ter. Se tivermos uma pequena câmara PowerShot G7 X Mark II connosco, além de conseguirmos imagens fantásticas, damos um toque adicional de diversão à viagem.

"As nossas câmaras eram enfiadas nos sacos, que estavam à nossa frente nos caiaques, juntamente com o protetor solar, os óculos de sol e a nossa comida para o dia. Mostraram ser robustas e resistentes e, ao contrário do computador portátil que trouxemos para guardar as filmagens, foram capazes de lidar muito bem com a humidade. Quando nos preocupávamos com o facto de as câmaras terem ficado demasiado húmidas, limitávamo-nos a secá-las dentro de sacos de arroz. Não nos podíamos esquecer de tirá-las quando queríamos uma chávena de arroz para comer, mas funcionou!"

A câmara foi fácil de utilizar?

"Devido à natureza do que estávamos a fazer, era muito importante termos uma câmara que funcionasse sem grande esforço. Dependemos muito do modo de captação automática, uma vez que o tempo não nos permitia alterar as definições. Na PowerShot G7 X Mark II, as definições automáticas são tão boas que, se não conhecermos as câmaras e não tivermos tempo para aceder às definições e escolher diferentes cenas e modos, é suficientemente inteligente para o fazer sozinha. Conseguiu garantir um bom desempenho em diferentes ambientes de luz, expondo a cena corretamente, quer estivéssemos sob a luz solar direta no rio ou nas nossas redes por baixo da canópia da selva à noite.

"Outra excelente funcionalidade da PowerShot G7 X Mark II é o facto de o ecrã pode rodar para cima, para que nos possamos enquadrar muito bem. Desta forma, percebemos se estamos focados ou não e o que está em segundo plano. É particularmente útil para gravar vlogues e tornou a câmara ainda mais fácil de utilizar em movimento."

Adventurer Laura Bingham stands chest deep in the Essequibo River, holding a machete aloft. Photograph by Jon Williams.

Está contente por ter feito o esforço de tirar fotografias e gravar vídeos?

"Cada momento da viagem foi tão intenso que muitos foram sendo esquecidos ao longo do percurso. É impossível lembrarmo-nos de tudo e há o perigo de nos esquecermos dos pequenos e únicos momentos. Agora que estamos em casa, todas as recordações estão como que desfocadas e é através das fotografias e dos vídeos que podemos reviver a viagem vezes sem conta."

Quais são as suas dicas para outras pessoas que possam querer gravar um vlogue durante as suas aventuras?

"Se o objetivo for gravar vlogues para as redes sociais, a Canon PowerShot G7 X Mark II é fantástica. É uma câmara abrangente e fantástica para vlogues que vai ajudar, e não prejudicar, as aventuras.

"Em termos de conteúdo, devemos sempre lembrar-nos de que nunca temos demasiado material. Mesmo quando achamos que já temos o suficiente, podemos sempre tentar novas abordagens e experimentar novos ângulos até conseguir algo que funcione. Temos suficiente liberdade para conhecer as nossas capacidades e defeitos, e devemos pedir ajuda sempre que necessário."

Escrito por Matthew Bowen

*A Canon PowerShot G7 X Mark II foi concebida para ambientes entre 0-40 °C e 10-90% de humidade. Não é possível garantir o funcionamento normal em condições extremas. A caixa estanque (40 m) WP-DC55 está disponível como acessório separado.

**O vídeo em destaque neste artigo combina as imagens dos vlogues gravados pela Laura, pela Ness e pela Pip através da Canon PowerShot G7 X Mark II com as imagens captadas pelo cineasta profissional Peiman Zekavat através da Canon EOS C300 Mark II, da Canon EOS 5D Mark IV e das objetivas da série L.

Produtos relacionados

Artigos relacionados



A secção Inspirar-se é a sua principal fonte de dicas de fotografia úteis, guias de compras e entrevistas profundas: tudo aquilo de que necessita para encontrar a melhor câmara ou impressora e dar vida à sua próxima ideia criativa.

Voltar a todas as histórias