babies playing outdoors

Sugestões de fotografia a preto e branco

Fotografia a preto e branco

A fotografia a preto e branco volta novamente a ser explorada, apesar de nunca ter chegado a desaparecer. Porque continua a ser tão popular?

A imagem a preto e branco está envolta numa certa nostalgia, que deriva não só de memórias de fotografias antigas, mas também dos primórdios da televisão. De facto, a imagem a preto e branco é bastante eficaz a enfatizar as formas e tons de um motivo. O preto e branco permite criar uma imagem poderosa de um motivo que poderia ter menos impacto a cores.

Para facilitar a compreensão da fotografia a preto e branco, este tutorial abrange os seguintes campos:

  • Paisagens de inverno
  • Retratos
  • Paisagens urbanas
  • Fotografias noturnas
  • Utilização de filtros
  • "Ver" a preto e branco
  • Gravação de ficheiros JPEG e RAW

Paisagens de inverno

As paisagens de inverno adequam-se perfeitamente à fotografia a preto e branco. Nesta altura do ano, é normal haver pouca cor – não existem verdes vivos e vemos apenas escassas flores em tons de vermelho ou amarelo. Uma paisagem coberta de neve já é maioritariamente monocromática. Concentre-se nas formas das árvores despidas de folhas, paredes de pedra e edifícios. A composição e o contraste tornam-se elementos fundamentais da imagem.

A regra dos terços é particularmente útil na fotografia a preto e branco, já que existe pouca cor para distrair o olhar. Imagine uma grelha desenhada no visor da câmara: duas linhas verticais e duas linhas horizontais, formando quatro interseções. Tente colocar o motivo principal numa dessas interseções. Assim se produz uma composição forte.

Outra ajuda à composição é a perspetiva distante. É possível verificá-la ao fotografar uma estrada de um plano superior ou seguindo as vias férreas. As linhas da estrada ou via parecem convergir, apesar de sabermos que são paralelas. O olhar é atraído para as linhas e seduzido pela imagem.

Quando deve utilizar preto e branco

Certas situações apelam à criação de imagens a preto e branco. A seguir, encontram-se alguns exemplos.

Retratos

A fotografia a preto e branco combina na perfeição com a temática de retratos. Isto pode dever-se, em parte, ao facto de muitos retratos icónicos de séculos passados serem monocromáticos e estarmos, portanto, familiarizados com o estilo. Mas também porque, quando a imagem é despida de cor, permanecem apenas o caráter e a personalidade. A adição de iluminação lateral funciona particularmente bem, já que permite um maior contraste entre os detalhes realçados e as sombras.


Paisagens urbanas

As fotografias de arquitetura são frequentemente monocromáticas, de modo a enfatizar a forma dos edifícios. O contraste acrescido proporcionado pelo modo preto e branco sobre as cores adequa-se perfeitamente ao motivo. É frequente realizar estas fotografias de manhã cedo, em parte para evitar as distrações do trânsito e das pessoas, mas também para beneficiar da iluminação proporcionada pelo sol baixo no horizonte. Esta iluminação cria sombras alongadas e pode produzir uma textura apelativa em pedras ou no asfalto. Estas imagens podem beneficiar também da simplicidade e nitidez do modo preto e branco.

Fotografias noturnas

A fotografia noturna deve ser experimentada tanto a cores, como a preto e branco. Frequentemente, o brilho amarelo da iluminação urbana dá vida a uma cena. Em alternativa, a textura e os padrões de uma cena ressaltam mais num estilo monocromático.

A importância da cor

Em fotografias a preto e branco, é comum utilizar filtros para alterar os tons da imagem. Por exemplo, os filtros amarelos e vermelhos absorvem a luz azul, fazendo com que o céu azul pareça mais escuro na imagem.

Utilização de filtros

A utilização de filtros não só torna a cena mais dramática, como também realça o contraste entre as nuvens brancas e o céu. Em todas as câmaras EOS e em diversas PowerShots, como a PowerShot G1 X III, é possível utilizar filtros. Em alternativa, encontra-se disponível o efeito de filtro nas definições de estilo de imagem das câmaras digitais Canon EOS. Pode selecionar amarelo, vermelho, laranja ou verde para alterar os tons monocromáticos e simular o efeito dos filtros. Consulte o manual de instruções da sua câmara para obter mais informações.

"Ver" a preto e branco

Não precisa de fotografar a preto e branco; pode fotografar a cores e, quando tiver transferido o ficheiro para o computador, copiar e converter a imagem para preto e branco. Mas lembre-se de que o efeito de uma cena a cores pode não ser o mesmo que a preto e branco e vice-versa.

Por exemplo, quando fotografadas a cores, as flores vermelhas destacam-se num fundo verde. Mas quando o mesmo motivo é fotografado em tons monocromáticos, o vermelho e o verde convertem-se em tons de cinzento semelhantes.

A prática ajudá-lo-á a "ver" em tons monocromáticos, mas pode acelerar a sua aprendizagem. De um modo geral, aperceber-se-á de que as imagens a preto e branco requerem mais contraste do que as imagens a cores do mesmo motivo. Fotografe o mesmo motivo duas vezes, primeiro a cores e, em seguida, a preto e branco. Pode comparar as duas imagens no ecrã LCD da sua câmara.

Gravação de ficheiros JPEG e RAW

É possível guardar imagens em diversos formatos. A escolha do formato correto depende do que pretende fazer com a imagem.

Recomendamos a utilização do RAW para fotografias noturnas, uma vez que permite um maior ajuste da imagem com o software Digital Photo Professional (DPP) da Canon do que com ficheiros de qualidade JPEG. Também lhe permite desativar a funcionalidade de redução de ruído de longa exposição e aplicar a redução de ruído no DPP.

A câmara remove então grande parte do ruído ao gravar a imagem no cartão de memória. No entanto, este processo demora o mesmo tempo que a exposição, por isso uma exposição de dois minutos demora dois minutos adicionais até exibir a sua imagem no ecrã de revisão. Durante este tempo, não será possível tirar outra fotografia.

Motivos

Agora que compreende as técnicas, precisa de selecionar a iluminação e os motivos.

O curto período de crepúsculo, logo após o pôr do sol, pode ser muito eficaz. O céu ainda está iluminado em redor do horizonte, embora o sol já não esteja visível. Quando o sol está baixo no céu, a luz emitida é muito mais quente do que a luz emitida pelo sol do meio-dia e, por esse motivo, conseguem ver-se cores maravilhosas à hora do crepúsculo. Também é possível assistir a efeitos semelhantes ao nascer do sol. Por isso, se o motivo não estiver na posição correta para tirar partido do crepúsculo, tente levantar-se cedo e verifique se é melhor fotografar quando o sol se encontra no lado oposto.

Nas cidades, as luzes transformam-se frequentemente no próprio motivo. Experimente fotografar sinais de néon, iluminações e edifícios iluminados. Fotografe com exposições diferentes para ver todos os resultados possíveis. Fotografar imediatamente após um temporal duplica o interesse, uma vez que as luzes são refletidas nas ruas molhadas e nas poças de água.

O fogo de artifício também constitui um motivo excelente. O procedimento padrão consiste na definição de uma velocidade de obturador mais lenta para captar os rastos e explosões. Coloque a câmara em modo manual (M) e escolha uma abertura entre f/8 e f/16 e uma velocidade do obturador entre 5 e 10 segundos. A velocidade do obturador depende em grande medida da frequência de explosão do fogo de artifício.

Embora seja possível que a câmara consiga focar automaticamente, a escuridão poderá colocar um problema. Por isso, é melhor colocar a objetiva no modo manual (MF) e focar um objeto que esteja à mesma distância que o fogo de artifício.

Todas as câmaras digitais Canon podem criar ficheiros JPEG. Estes são processados no interior da câmara, desfazendo-se de dados de imagens indesejados. É possível abrir um ficheiro JPEG com o software fornecido com a câmara Canon e efetuar alterações, tais como, por exemplo, a conversão de um ficheiro a cores para preto e branco. Mas não estará a trabalhar com todos os dados, o que limita o leque de alterações possíveis.

Se gosta de trabalhar as imagens após transferi-las para o computador, é aconselhável gravá-las como ficheiros RAW. Todas as câmaras EOS e algumas PowerShot permitem criar imagens RAW. Estes ficheiros retêm todos os dados captados pela câmara, disponibilizando um leque mais amplo de opções de ajustes aplicáveis à fotografia. Pode aplicar um efeito de filtro vermelho, amarelo ou verde para aumentar o contraste, ou até adicionar um tom sépia, azul ou roxo.