FOTOGRAFIA DE AUTORRETRATO

8 sugestões para autorretratos deslumbrantes

A fotógrafa Amaal Said partilha as suas técnicas especializadas para transformar uma selfie comum num autorretrato criativo.
Canon Camera
As selfies tornaram-se uma forma instintiva e criativa de registar as nossas vidas, quer seja um momento precioso que vale a pena celebrar ou como uma forma de expressão pessoal. Mas como pode elevar uma selfie padrão a um autorretrato de qualidade profissional?

A fotógrafa de autorretratos e poetisa Amaal Said, sediada em Londres, atraiu mais de 23 mil seguidores nas redes sociais e afirma que as suas selfies artísticas têm sido uma forma fantástica de relatar a sua viagem, tanto pessoal como fotográfica. "Os autorretratos têm sido sempre um portal para o meu eu passado", afirma. "Consigo ver como me sentia numa determinada altura da minha vida e adoro que, ao longo dos anos, me tenha tornado melhor a fotografar-me."

Aqui, Amaal partilha as suas técnicas especializadas sobre como criar autorretratos que vai querer partilhar, imprimir e guardar para sempre. Ela também demonstra como pode ser fácil captar os seus próprios momentos especiais, entregando a câmara à irmã e orientando-a, a ela e ao marido, na configuração de uma fotografia de autorretrato informal num parque.

1. Comece com o modo automático e trabalhe

A fotógrafa e poetisa Amaal Said a usar um lenço para a cabeça com padrão vermelho. Uma jarra de flores vermelhas está a obscurecer-lhe parcialmente o rosto.

A maioria das câmaras para principiantes dispõe de um modo de retrato – os resultados dependerão da câmara, mas as imagens são normalmente menos nítidas no geral para manter a textura da pele agradável e suave. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/60 seg., f/1.4 e ISO200. © Amaal Said

O modo automático é um ponto de partida fantástico, aconselha Amaal. "Se for um principiante, não se envergonhe de utilizar as definições automáticas da sua câmara", afirma.

Definições úteis da câmara, como os modos de autorretrato e de retrato, ambos incluídos na Canon EOS M6 Mark II e noutros modelos para principiantes, como a Canon EOS 250D, ajudam a desfocar os fundos, a realçar os tons de pele e a suavizar o cabelo.

Para um maior controlo sobre a profundidade de campo, experimente fotografar no modo de prioridade à abertura (Av). Este modo semiautomático permite-lhe escolher a abertura, o tamanho da abertura numa objetiva através da qual a luz passa, com aberturas inferiores que deixam entrar mais luz. Para um fundo desfocado, opte por uma grande abertura, como f/1.4.

A escolha de uma objetiva de grande abertura concebida para retratos também o ajudará a obter um aspeto distinto. Amaal gostou especialmente de trabalhar com a objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM. "Adoro um fundo desfocado e podemos obtê-lo com uma grande abertura. Deixar entrar mais luz ajuda a isolar o motivo do fundo", explica.

Também utiliza frequentemente uma objetiva Canon EF 50mm f/1.8 II (agora substituída pela Canon EF 50mm f/1.8 STM) porque prefere autorretratos que se focam no rosto. "Simplesmente, sente-se mais perto", afirma. Pode instalar qualquer objetiva da vasta gama de objetivas EF e EF-S da Canon à Canon EOS M6 Mark II utilizando o adaptador de montagem Canon EF-EOS M pequeno e leve.

2. Localização, localização, localização

Duas mãos a ajustar as definições na parte posterior de uma câmara Canon EOS M6 Mark II colocada num tripé.

Amaal orientou a irmã na utilização da Canon EOS M6 Mark II para uma fotografia de retrato informal num parque local. © Amaal Said

Um retrato de um homem em pé num parque emoldurado por folhas de outono.

Quer esteja no exterior, num parque frondoso, ou a trabalhar num estúdio improvisado, o seu fundo pode melhorar o estado de espírito das suas imagens finais. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/200 seg., f/1.6 e ISO100. © Amaal Said

"É importante saber que tipo de fundo pretende e encontrar a localização certa é essencial para definir o estado de espírito", afirma Amaal. "Adoro fotografar retratos em parques para captar uma série de imagens em diferentes definições. É importante encontrar um lugar mais silencioso para não se ser interrompido por outras pessoas enquanto tira a fotografia."

Um ambiente pode transformar o estado de espírito de um autorretrato mas, por vezes, uma tela em branco pode ajudar, afirma. "Tenho uma parede branca no meu quarto, por isso costumo usá-la como fundo e visto algo colorido para me destacar. Mas pode ter um canto no seu jardim ou um local algures na casa onde pode montar um tripé. É importante que o seu fundo não esteja demasiado ocupado ou desarrumado."

3. Faça experiências com a luz e a composição

Um retrato em grande plano de uma mulher com um lenço para a cabeça vermelho que segura uma planta contra o rosto.

Amaal gosta frequentemente de fotografar os seus autorretratos contra um fundo branco simples, para que não haja distrações na moldura, e de se posicionar ligeiramente fora do centro. Ela também recomenda que se deixe espaço suficiente à volta do rosto para que se possa fazer experiências com o corte. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/160 seg., f/1.4 e ISO200. © Amaal Said

"Adoro verdadeiramente os tons quentes da hora dourada", afirma Amaal, a qual ocorre por volta do nascer do sol ou do pôr do sol. "Um sol mais suave é sempre bom. Talvez queira evitar fotografar sob luz solar intensa, pois a mesma cria muita sombra. Também já fotografei em dias nublados e também pode fazer com que isso funcione. Basta garantir que ajusta as suas definições para se adequarem à luz."

No que diz respeito à composição, Amaal recomenda a remoção de quaisquer distrações na moldura. "Ajuste à medida que vai avançando e experimente posicionar-se em ângulos diferentes", afirma. "A fotografia muda completamente quando se está um pouco fora do centro, pelo que pode fazer experiências com essa possibilidade."

Deixar espaço à volta da sua imagem também oferece opções adicionais quando se corta para o Instagram. "Normalmente, fotografo os meus autorretratos no modo de paisagem porque gosto de ter espaço extra em ambos os lados para fazer experiências", acrescenta.

4. Visualize a cores

Uma imagem de retrato em camadas que mostra Amaal Said com um lenço para a cabeça rosa, a olhar em duas direções.

Fazer experiências com cores e tecidos é uma forma fantástica de fazer retratos impressionantes – Amaal optou por uma paleta de rosas e roxos suaves para este autorretrato com exposição múltipla. Tirado com uma Canon EOS M6 Mark II com um adaptador de montagem Canon EF-EOS M e uma objetiva Canon EF 50mm f/1.8 II a f/1.8, 1/30 seg. e ISO600. © Amaal Said

Fazer experiências com paletas de cores pode ajudá-lo a expressar a sua personalidade. "Começo sempre pela forma como me sinto e depois avanço a partir daí", explica Amaal. "Por vezes quero algo temperamental e visto-me em conformidade, ou posso estar entusiasmada com um batom novo que quero usar para um autorretrato.

"Adoro cor. Introduzo-a nos meus autorretratos principalmente através do meu hijabe e do meu batom, mas podemos utilizar a cor de inúmeras maneiras. Experimente fixando tecidos a uma parede ou colocando-os sobre algo alto. Também pode trazer a cor através de flores.

"Planear as cores com antecedência é sempre uma forma fantástica de garantir que obtém um autorretrato forte. Pense se as cores que está a utilizar se adequam ao fundo ou se não o distinguem o suficiente. A cor é especialmente importante nos autorretratos de noivado ou de casamento porque pretende que o casal seja o elemento principal na imagem."

5. Aprenda a relaxar

Um autorretrato da fotógrafa e poetisa Amaal Said com um lenço para a cabeça rosa. O seu rosto é refletido num espelho pequeno e redondo que ela segura.

Segurar num espelho pequeno junto ao rosto dá às suas mãos algo para fazer, e também lhe permite experimentar algumas composições criativas. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/80 seg., f/1.4 e ISO320. © Amaal Said

"O bom dos autorretratos é que não há outra pessoa atrás da câmara a olhar para o nosso rosto de perto", afirma Amaal, que acrescenta que adereços, como flores e espelhos, podem ajudar as pessoas a sentirem-se à vontade frente à objetiva e a proporcionar uma oportunidade para algumas experiências criativas.

"Normalmente, as pessoas dizem que não sabem o que fazer com as mãos e isto é completamente normal. É por isso que recomendo que se segure em algo para começar." Poderá achar útil usar brincos exuberantes ou um enorme colar, pois proporciona às mãos algo que pode segurar.

6. Utilize um tripé e um temporizador automático

Um casal em pé na floresta, captado no ecrã tátil de uma Canon EOS M6 Mark II colocada num tripé.

Amaal aconselhou a irmã a colocar a Canon EOS M6 Mark II num tripé e a utilizar o ecrã tátil inclinável para ajudar a compor as fotografias. © Amaal Said

Um casal em pé numa cena de floresta, emoldurado pelas folhas de outono de uma árvore.

Ela também recomendou a configuração de um temporizador para que o casal tivesse alguns segundos para se colocar em posição e se compor. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/200 seg., f/1.6 e ISO100. © Amaal Said

Amaal utilizou a compacta e leve Canon EOS M6 Mark II de 32,5 MP, com o seu ecrã tátil inclinável a 180° e Wi-Fi incorporado para fotografar os seus autorretratos, e recomenda a colocação num tripé e a utilização do temporizador automático.

"A Canon EOS M6 Mark II é uma câmara maravilhosa para experimentar, e configurar o temporizador automático é extremamente fácil", explica. "Pode escolher um temporizador de dois ou 10 segundos, mas opto pelo temporizador de 10 segundos porque gosto de ter tempo suficiente para me preparar", acrescenta.

Inclinar o ecrã tátil para o rosto é também uma forma verdadeiramente útil de compor as suas fotografias enquanto está em frente à câmara.

7. Tire retratos remotamente

Uma mão a ajustar o ecrã tátil rebatível numa Canon EOS M6 Mark II fixada a um tripé.

O ecrã tátil rebatível da Canon EOS M6 Mark II significa que pode compor as suas fotografias a partir de qualquer ângulo ou inclinar o ecrã para o rosto enquanto está frente à câmara. © Amaal Said

Uma mulher sorri para a câmara com os olhos fechados. O ramo de flores vermelhas que ela segura obscurece parcialmente o seu rosto.

Se a sua câmara não tiver um ecrã tátil rebatível, pode tentar ajustar a focagem enquanto segura um objeto frente à objetiva e, em seguida, deslocar-se para a mesma posição. Tirada com uma Canon EOS M6 Mark II com uma objetiva Canon EF-M 32mm f/1.4 STM a 1/160 seg., f/1.4 e ISO250. © Amaal Said

A aplicação Camera Connect da Canon permite-lhe ligar uma câmara Canon com Wi-Fi a um dispositivo Apple ou Android para disparar remotamente. Poder utilizar o seu smartphone para visualizar a imagem e disparar o obturador torna muito mais fácil a captura de retratos incrivelmente nítidos. "Se não quiser continuar a voltar à câmara para verificar se as suas fotografias estão focadas, a aplicação Camera Connect é um salva-vidas", afirma Amaal. “É também verdadeiramente útil se estiver a mudar de posição."

O ecrã tátil rebatível da Canon EOS M6 Mark II também é prático para garantir que os rostos estão focados. "Ser capaz de virar o ecrã ao contrário para ver a sua aparência é incrível e poupa muito tempo", afirma Amaal.

Amaal gosta que as suas imagens sejam extremamente nítidas e repletas de cores, por isso utiliza uma mistura de métodos para garantir que tudo fica nitidamente focado. "Um método que utilizei no passado, quando não tinha uma câmara com um ecrã rebatível ou disparo remoto, consistia em segurar um objeto frente à câmara, normalmente flores, focar e, em seguida, deslocar-me para a mesma posição", explica. Também gosto de utilizar a focagem automática com acompanhamento do rosto, mas esta nem sempre é adequada se se tiver objetos em primeiro plano."

8. Edite e imprima autorretratos com aspeto profissional

Ajustar as suas definições para fotografar tanto em RAW como em JPEG dá-lhe mais opções quando se trata de editar as suas fotografias. Pode utilizar o software de edição gratuito Digital Photo Professional (DPP) da Canon para melhorar as suas imagens RAW, com ferramentas para ajustar o equilíbrio de brancos, a saturação, a exposição e muito mais.

"Não tem de ser um profissional para editar as suas fotografias", afirma Amaal. "O principal para mim é a exposição, porque por vezes a imagem não é tão brilhante como eu gostaria que fosse. Faço experiências com o contraste e a sombra para obter a aparência que pretendo. E também gosto de ver o que a rotação da imagem faz quando estou a editar. Sou também uma grande amante de autorretratos a preto e branco."

Depois de terminar a edição, pode tentar imprimir as suas fotografias diretamente do telemóvel para a compacta Canon SELPHY Square QX10. Perfeita para livros de recortes, quadros de afixação e álbuns, oferece uma forma rápida e divertida de preservar os seus autorretratos favoritos. Para impressões de qualidade profissional, uma impressora da série Canon PIXMA G irá ajudar a dar vida às suas imagens.


Escrito por Lorna Dockerill

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • A Speedlite on a tripod with a cardboard box mounted in front of it, throwing gentle light on a boy.

    PROJETOS

    3 acessórios de fotografia de bricolage

    Crie o seu próprio softbox, tubo para luz de focagem e pufe para estabilizar a sua câmara.

  • A woman gathers a blanket close to her.

    RETRATOS

    Como utilizar uma objetiva para retratos

    Descubra como utilizar uma objetiva para retratos e saiba como esta pode melhorar as suas fotografias.

  • Bokeh photography tips

    NOÇÕES BÁSICAS DE FOTOGRAFIA

    Sugestões de fotografia com efeito "bokeh"

    Siga estas excelentes sugestões para adicionar uma nova dinâmica às suas fotografias.

  • Mirror Photography Tips

    RETRATOS

    Sugestões para fotografia com espelhos

    Uma maneira fácil e rápida de acrescentar outra dimensão aos seus retratos.