TÉCNICAS DE FOTOGRAFIA NOTURNA

Como fotografar a superlua: oito sugestões para captar fotografias extraordinárias da lua

Utilize estas técnicas de especialistas para fotografar a lua e descubra como captar uma das paisagens mais deslumbrantes do céu noturno.
Canon Camera
A lua continua a ser um motivo cativante para fotógrafos de todo o mundo, especialmente naqueles momentos raros em que aparece como superlua ou até como lua vermelha. No entanto, pode ser complicado fazer-lhe justiça. Pode ser um desafio fotografar um motivo brilhante que está muito afastado e em condições de pouca luz, bem como enquadrar e focar em distâncias focais longas. Mas, com o kit de fotografia e as definições de exposição certos, pode captar fotografias da lua incrivelmente detalhadas e paisagens lunares atmosféricas. Aqui, mostramos como o fazer.

1. Sugestões para fotografar a lua: fique atento ao calendário

A lua numa noite limpa com ramos de árvore em primeiro plano.

Os movimentos da lua podem ser tão certos como um relógio, mas a meteorologia é imprevisível. Uma noite limpa é a condição atmosférica ideal para fotografar a lua, por isso, verifique a previsão do tempo antes de sair. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM a 400 mm, 30 seg., f/11 e ISO 100.

Uma lua cheia em ascensão acima de uma linha de árvores.

Entre 2021 e 2025, serão observadas quatro superluas por ano. Por isso, terá muitas oportunidades para captar este evento deslumbrante. Uma lua vermelha ocorrerá em maio de 2021 e 2022, novembro de 2022, março e setembro de 2025 e março de 2026, sendo que em algumas destas datas será necessário viajar para conseguir vislumbrar o fenómeno. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM e um Extensor RF 1.4x a 700 mm, 2 seg., f/10 e ISO 1000.

Em determinadas alturas durante a órbita de 27,322 dias da lua, esta fica mais próxima da Terra. Quando isto coincide com uma lua cheia, a altura do mês em que o sol, a lua e a Terra se alinham, somos capazes de observar uma lua cheia maior ou superlua. As luas vermelhas são um acontecimento ainda mais raro. Ocorrem quando uma superlua normal coincide com um eclipse lunar total. Isto significa que a Terra bloqueia completamente a luz solar direta de chegar até à lua e apenas a luz refratada da atmosfera terrestre a atinge, fazendo com que a lua pareça ter uma ténue tonalidade vermelho sangue.

2. Planeie antecipadamente

Uma EOS RP num tripé com uma teleobjetiva, configurada para fotografar a lua em ascensão por cima de uma linha de árvores à volta de um lago.

Quer esteja interessado em captar uma lua cheia brilhante e alta no céu ou uma lua em quarto crescente, pode planear as suas datas de acordo com o ciclo lunar de modo a fotografar exatamente o que pretende.

A lua fotografada através de árvores, a luz refletida a iluminar faixas de um lago em primeiro plano.

Planear antecipadamente também significa que pode escolher previamente a sua composição, quer pretenda captar a lua por cima de um castelo local ou refletida num lago. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM a 300 mm, 1/40 seg., f/6,3 e ISO 500.

Fotografar a lua não é apenas um teste divertido para as suas competências de câmara, mas também uma forma fascinante de conhecer os movimentos da Terra e do seu satélite. É possível dizer com certeza onde a lua irá nascer, onde irá curvar no céu e a fase em que estará todas as noites, por muitos anos. Existem várias aplicações úteis para telemóvel que o podem ajudar a planear os seus ângulos com precisão e pode mesmo monitorizar as fases da lua online. Como regra geral, importa saber que a lua cheia emerge diretamente oposta ao sol poente.

3. Definições para fotografar a lua

Uma pessoa a ajustar o ecrã de ângulo variável de uma Canon EOS RP enquanto fotografa a lua.

Fotografar um motivo tão brilhante rodeado de escuridão pode causar problemas de exposição, por isso, tente definir a sua exposição manualmente.

O ecrã de uma Canon EOS RP a apresentar as definições de pico.

Se estiver com dificuldades em fixar a lua, experimente a focagem manual. Utilize o modo de visualização direta e ative o pico de focagem para garantir que os detalhes são captados com nitidez.

Os modos de exposição automática podem não funcionar de forma consistente ao fotografar a lua, sendo melhor utilizar a exposição manual. Essencialmente, a intensidade da luz solar ao atingir a lua mantém-se inalterada, pelo que existe uma regra de exposição simples que podemos utilizar como guia: a regra "looney 11". Defina a abertura para f/11 e ajuste a velocidade do obturador para o inverso do ISO, ou seja, com ISO 100 utilizamos 1/100 seg., com ISO 200 seria 1/200 seg., e por aí adiante. No entanto, esta regra não é infalível. Pode variar a velocidade do obturador e a abertura à volta destes valores até a imagem parecer correta.

4. Que objetiva utilizar para fotografar a lua?

Um fotógrafo a ajustar a sua câmara EOS RP com uma objetiva RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM montada num tripé.

Uma objetiva de zoom como a Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM oferece-lhe muitas opções para planos de paisagens lunares mais amplos, bem como para grandes planos detalhados.

Uma paisagem lunar acima de uma autoestrada com rastos de trânsito causados por exposição longa.

Posicionar elementos em primeiro plano também pode ser uma forma de captar outra fonte de luz, como nesta fotografia com rastos de trânsito causados por exposição longa, que são uma forma excelente de adicionar contraste às suas imagens. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM a 100 mm, 8 seg., f/10 e ISO 250.

É indispensável uma teleobjetiva para captar fotografias da lua em grande plano, mas uma objetiva rápida e dispendiosa não é essencial, uma vez que a lua é tão brilhante que torna desnecessárias as aberturas maiores das teleobjetivas topo de gama. Mesmo uma objetiva de zoom standard como a Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM pode funcionar. Pode ser que não lhe permita preencher o enquadramento, mas pode sempre recortar a área mais tarde. É aqui que as câmaras com uma alta resolução, como a Canon EOS RP de 26,2 MP, mostram o seu valor.

5. Aumente o seu alcance

Um fotógrafo a ajustar a sua objetiva Canon RF 800mm F11 IS STM numa câmara EOS RP montada num tripé.

Com objetivas únicas como a Canon RF 800mm F11 IS STM, pode captar fotografias lunares extremamente detalhadas a um preço acessível.

Um grande plano de uma lua quase cheia numa noite limpa.

Aqui combinámos a objetiva Canon RF 800mm F11 IS STM com um teleconversor de 2x, proporcionando um alcance incrível de 1600 mm para fotografias altamente detalhadas da lua. Tirada com uma EOS RP com uma objetiva Canon RF 800mm F11 IS STM e um Extensor RF 2x a 1600 mm, 1/50 seg., f/22 e ISO 100.

6. Prepare o seu momento

Uma lua cheia amarela brilhante vislumbrada através de árvores.

Se pretende enquadrar objetos em frente à lua com uma teleobjetiva, terá de estar a uma distância maior ou igual a 800 metros do objeto para igualar as proporções. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 100-500mm F4.5-7.1 L IS USM a 500mm, 0,5 seg., f/8 e ISO 100.

A silhueta de uma aeronave em voo a passar à frente de uma lua cheia.

Cronometrar o seu momento com precisão permite-lhe captar fotografias impressionantes, como esta aeronave a voar em frente à lua. Tirada com uma Canon EOS R5 com uma objetiva Canon RF 800mm F11 IS STM a 1/1000 seg., f/11 e ISO 1600. © Tibor Szövetes

Uma superlua é talvez mais impressionante quando aparece pela primeira vez no horizonte. A luz tem de viajar lateralmente pela atmosfera terrestre até si e, por essa razão, a lua assume uma qualidade avermelhada quente. É também neste momento que a lua parece maior, embora isto seja apenas uma ilusão: o seu tamanho permanece o mesmo durante toda a noite, mas a curvatura da atmosfera funciona como uma lupa.

7. Fotografe a lua em segundo plano

Uma câmara Canon EOS RP montada num tripé para fotografar a lua refletida num lago. Uma prancha de mergulho antiga a grande altura.

A incorporação de detalhes em primeiro plano ao captar a lua podem ajudar a enquadrá-la, criando uma imagem mais interessante.

A lua refletida num lago. Uma prancha de mergulho antiga a grande altura.

Utilizando um tripé e reduzindo a velocidade do obturador para um segundo ou mais, pode fotografar paisagens lunares e paisagens etéreas que parecem quase terem sido captadas à luz do dia. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 46 mm, 2,5 seg., f/5,6 e ISO 800.

Podemos ser criativos com as nossas composições lunares, incluindo detalhes apelativos no horizonte. No entanto, é necessário estar preparado e agir rapidamente. Em poucos minutos, a lua terá deixado o horizonte e iniciado a trajetória em arco ascendente em direção ao céu.

8. Esqueça a lua cheia

Um grande plano da lua que mostra caraterísticas e detalhes da sua superfície.

Quando a lua se encontra em quarto minguante ou a três quartos, é uma excelente altura para captar os detalhes da sua superfície. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 800mm F11 IS STM e um Extensor RF 2x a 1600 mm, 1/50 seg., f/22 e ISO 100.

Apesar de uma lua cheia ser um fenómeno fascinante, pode não ser a melhor altura para a fotografar se o seu interesse for captar caraterísticas da sua superfície, como crateras. Da mesma forma que o flash integrado de uma câmara ilumina um rosto, a luz solar frontal durante uma lua cheia elimina muitas das sombras. Noutras alturas do mês, a luz solar é mais lateral, criando as altas-luzes e as sombras necessárias para reproduzir os contornos e os detalhes da paisagem lunar.

Eleve a sua fotografia lunar a outro nível com mais sugestões e inspiração do fotógrafo profissional Andrew Fusek Peters*.

* Disponível apenas em idiomas selecionados.


Escrito por Phil Hall

Artigos relacionados

  • Como fotografar o céu em noites estreladas

    FOTOGRAFIA AO AR LIVRE

    Como fotografar o céu em noites estreladas

    Descubra estas sugestões fantásticas para captar os céus estrelados.

  • Rastos de luz de automóveis à luz do entardecer numa ponte curva. O nevoeiro espesso tipo nuvem oculta os suportes da ponte e o solo abaixo.

    FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    Crie rastos de luz

    Como utilizar exposições longas para criar rastos de luz: sugestões do vencedor do desafio Canon Redline.

  • FOTOGRAFIA DE PAISAGEM

    À procura da aurora boreal

    Junte-se a Markus Morawetz e à sua família numa viagem de 9000 km com a Canon EOS R.

  • Get creative in your garden: three techniques to master

    FOTOGRAFIA DE JARDIM

    Seja criativo no seu jardim: três técnicas a dominar

    Projetos divertidos para experimentar em casa, desde pintar com luz a fotografar as estrelas.