FOTOGRAFIA URBANA

Sugestões de composição para tirar fotografias deslumbrantes à cidade

Ângulos únicos e perspetivas frescas – a fotógrafa Paula Stopka partilha as suas dicas para compor fotografias impressionantes da paisagem urbana.
O horizonte de Chicago durante a hora dourada, com água diante dos edifícios. Toda a cena está tingida com o brilho laranja do horizonte.

Da arquitetura urbana moderna, que se destaca pelas linhas do horizonte, a estruturas históricas de tijolos com séculos de existência, as cidades oferecem um mundo de perspetivas que vale a pena captar, cada uma única para cada fotógrafo.

Originária de Cracóvia, na Polónia, a Paula Stopka é uma fotógrafa e designer gráfica autodidata sediada em Londres que gosta de explorar cidades de todo o mundo com uma câmara na mão, mais recentemente a Canon EOS R, à procura de novas perspetivas e ângulos inovadores.

Partilhamos aqui o seu trabalho inspirador, juntamente com as nossas melhores sugestões para compor fotografias criativas de paisagens e cenas urbanas.

1. Explorar perspetivas diferentes

Uma imagem tirada em direção ascendente através do centro oco de uma estrutura circular elevada. Linhas de varandas formam círculos concêntricos até o topo da estrutura, com um avião a sobrevoar no céu aberto.

Pontos estratégicos diferentes podem dar uma perspetiva completamente nova sobre os edifícios da cidade. Não tenha medo de se abaixar e fotografar em direção ascendente. Tirada com uma Canon EOS 6D Mark II com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/4L IS USM a 16 mm, 1/160 seg., f/8 e ISO100. © Paula Stopka

Uma imagem tirada em direção ascendente numa escada em espiral de betão, que forma um padrão sinuoso tipo concha.

As escadas podem ser ambientes fantásticos para encontrar textura, linhas de orientação, curvas e outras formas que ajudam a guiar os olhos. Tirada com uma Canon EOS R com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/4L IS USM e um Adaptador de montagem Canon EF-EOS R a 16 mm, 1/50 seg., f/6.3 e ISO320. © Paula Stopka

Os pontos estratégicos invulgares podem oferecer uma nova abordagem às vistas da cidade quando passeia com uma câmara. Fotografar a arquitetura impressionante em direção ascendente até ao céu e incluir as camadas dos diferentes pisos de um edifício pode adicionar profundidade e orientar o olhar. Em alternativa, experimente vistas de cima para obter uma visão dramática dos telhados e arranha-céus, suba aos miradouros, ou fotografe a sua cena de paisagem diante de uma massa de água num ponto de observação baixo para obter reflexos artísticos. O ecrã tátil de ângulo variável da sua câmara é ideal para estes cenários, especialmente quando combinado com um tripé, pois permite fotografar em posições mais criativas.

Por vezes, os edifícios de cortar a respiração e as respetivas estruturas únicas também podem ser desfrutadas no interior. Suba ao piso superior e olhe para baixo ou adiante para se focar nos designs dos telhados, utilizando a luz para obter efeitos dramáticos. Se tiver um edifício favorito na cidade, visite-o em diferentes momentos do dia. A hora dourada imediatamente antes do pôr do sol pode iluminar e transformar as cenas. Experimente fotografar de locais diferentes para encontrar uma perspetiva totalmente única.

2. Criar caminhos visuais através de uma imagem

As cenas normais da cidade podem ganhar vida quando um fotógrafo cria uma composição com caminhos visuais interessantes. As escadas com curvas contrastantes e linhas retas podem transformar-se em belas imagens tipo concha ao utilizar esta técnica, replicando a ferramenta de composição de Proporção Áurea, ou Espiral de Fibonacci, que os fotógrafos podem utilizar para orientar os olhos numa fotografia.

O esplendor arquitetónico nem sempre é necessário, pois pode utilizar este efeito com escadas rolantes iluminadas à noite para criar linhas de orientação ou até sombras na parte lateral de um edifício para orientar os olhos para um ponto focal principal.

3. Conferir espaço a uma cena

A linha do horizonte de Nova Iorque vista do outro lado de uma massa de água, com filas de pequenos pilares a sair da água que criam linhas de perspetiva para o centro da fotografia. A imagem inclui um céu grande e vazio acima dos edifícios.

O espaço no topo de uma imagem pode ajudar a realçar os principais pontos focais, tais como uma linha do horizonte angular e impressionante. Tirada com uma Canon EOS 6D Mark II com uma objetiva Canon EF 24-70mm f/2.8L II USM a 24 mm, 1/72 seg., f/16 e ISO100. © Paula Stopka

O interior de um grande edifício branco, a olhar para o telhado e para as linhas de escoras que o sustentam.

A arquitetura linear pode ganhar vida na câmara quando encontra um ângulo único. Tirada com uma Canon EOS 500D (agora substituída pela Canon EOS 850D) com uma objetiva Canon EF-S 10-22mm f/3.5-4.5 USM a 10 mm, 1/80 seg., f/7.1 e ISO100. © Paula Stopka

O espaço livre no topo de uma fotografia, especialmente no que diz respeito a céus espetaculares, pode permitir que uma imagem assuma outra dimensão e ajudar a eliminar as distrações. O espaço livre aumentado também é útil se quiser fotografar um céu noturno e realçar as luzes cintilantes da cidade com uma velocidade do obturador mais baixa para obter um céu mais escuro.

Ao fotografar uma linha do horizonte urbana, o espaço negativo acima da cena adiciona equilíbrio à imagem e previne um aspeto desorganizado. Não se esqueça do espaço abaixo das paisagens urbanas – os reflexos na água podem ser uma forma muito criativa de adicionar outro elemento de intriga quando procura uma nova perspetiva num local de fotografia popular.

4. Desfrutar dos ângulos amplos

Todas as paisagens urbanas envolventes são adequadas para uma objetiva grande-angular. As objetivas RF da Canon oferecem uma excelente qualidade de imagem, estabilização de imagem melhorada e um motor de focagem automática mais rápido. A Canon RF 15-30mm F4.5-6.3 IS STM tem um intervalo de zoom amplo com uma distância de focagem curta e uma estabilização de imagem capaz, que é ideal para paisagens e arquitetura.

Para captar panoramas deslumbrantes, o modo panorâmico da Canon EOS R7 e da Canon EOS R10 combina as fotografias à medida que desloca a câmara numa direção enquanto prime o obturador. Deverá manter a câmara estável e nivelada ao utilizar este modo.

Ao fotografar vistas arrebatadoras, mantenha o horizonte numa linha reta com o nível automático, caso esteja disponível na sua câmara. Também ajuda ter a grelha no visor para garantir que a sua composição está bem equilibrada.

Fotografar em grande angular numa câmara de alta resolução também lhe dá a liberdade de recortar a imagem para remover margens, melhorar o enquadramento ou até mesmo acentuar parte de um edifício para obter resultados únicos.

5. Fotografar verticalmente

O canto de um edifício, com filas de chapas curvas a sair de cada andar.

As linhas simples com luz e sombra, juntamente com extremidades nítidas, podem causar impacto nas composições. Tirada com uma Canon EOS R com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/4L IS USM a 26 mm, 1/160 seg., f/7,1 e ISO100. © Paula Stopka

Filas de escadas rolantes, iluminadas em fundo escuro e refletidas no teto por cima.

Criar percursos visuais através de uma imagem com características urbanas, tais como escadas rolantes, pode dar às fotografias uma estética de design gráfico. Tirada com uma Canon EOS 6D Mark II com uma objetiva Canon EF 16-35mm f/4L IS USM a 16 mm, 50 seg., f/4 e ISO800. © Paula Stopka

Um tema constante nas composições urbanas da Paula é a orientação vertical. "Acho que fotografar em alinhamento vertical é divertido e desafiante. Ao virar a câmara lateralmente, forço-me a ver as coisas de uma perspetiva diferente. Cria uma sensação de profundidade nas imagens", afirma. "Para mim, é tudo uma questão de simetria, sendo esse o meu foco principal. A simetria torna tudo visualmente muito agradável, equilibrado e mais apelativo aos olhos. Também confere harmonia à imagem."

A Paula utiliza funcionalidades úteis na Canon EOS R para as suas imagens de orientação vertical. "Tenho sempre as linhas de grelha ligadas na minha câmara Canon, pois ajuda-me a enquadrar e a compor melhor as imagens. Por vezes, utilizo também a funcionalidade de nível eletrónico", explica.

Todas as câmaras do Sistema Canon EOS R permitem que os fotógrafos selecionem como são apresentadas as informações do visor ao tirar fotografias na vertical. É possível mudar para o visor vertical para que a informação seja automaticamente rodada e mais fácil de ler.

6. Usar a luz para melhorar a composição

Uma rua de Londres à noite, com uma caixa telefónica vermelha em primeiro plano e a Catedral de St. Paul em plano de fundo, e longos rastos de luz vermelha, branca e amarela a percorrer a estrada.

Dê asas à criação com rastos de luz e uma exposição longa durante os períodos de escuridão para obter um visual interessante dos monumentos e criar linhas de orientação próprias. Tirada com uma Canon EOS 500D com uma objetiva Canon EF-S 10-22mm f/3.5-4.5 USM a 13 mm, 15 seg., f/14 e ISO 100. © Paula Stopka

Fotografar à noite pode transformar as cenas habituais em vistas coloridas extraordinárias. Em termos de composição, ao trabalhar durante o crepúsculo ou no escuro, pode ser útil fotografar monumentos com o ecrã de visualização direta para poder ver a composição de forma clara, alterando a exposição através da compensação de exposição ou o modo totalmente Manual (M) no ecrã.

A utilização de um cabo disparador permite-lhe fotografar à distância, o que é útil para obter ângulos invulgares e exposições longas. A aplicação Camera Connect da Canon permite-lhe efetuar alterações às definições da câmara e às exposições no telemóvel. Pode até usar a visualização direta no seu dispositivo.

As exposições longas de alguns segundos são espetaculares para captar o movimento dos veículos a passar diante de um monumento impressionante. Basta esperar pelo fluxo de trânsito antes de premir o obturador para obter rastos de luz criativos dos faróis e das luzes traseiras. Fazer experiências com uma composição e um ângulo de captação para descobrir onde os rastos de luz irão cair em relação ao monumento, juntamente com as várias velocidades do obturador, também faz parte da diversão.

Veja o nosso vídeo sobre fotografar paisagens urbanas à medida que o sol se põe para obter mais dicas e conselhos.

Pensamento final: como adicionar GPS às fotos

Ao olhar para as suas vistas preferidas da cidade, pode ser útil recordar exatamente onde as fotografou caso queira revisitar uma determinada localização e reviver uma viagem. Algumas câmaras Canon têm GPS incorporado, pelo que os dados de localização serão guardados nos ficheiros de imagem. Se a câmara não tiver esta funcionalidade, a aplicação Camera Connect da Canon pode utilizar os dados de localização do telemóvel e adicioná-los às suas imagens.


Como a Paula conclui, fotografar edifícios e paisagens urbanas é uma excelente forma de "crescer como fotógrafo". Utilize as nossas sugestões para criar imagens urbanas memoráveis.


Escrito por Lorna Dockerill

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • Contra um céu azul brilhante, um homem senta-se na extremidade de uma enorme plataforma curva que se eleva a vários metros acima do solo.

    Fotografia de arquitetura

    Sugestões para fotografia de arquitetura

    Entre na fotografia de arquitetura com as técnicas e os conhecimentos de um profissional.

  • Sugestões de fotografia urbana abstrata

    FOTOGRAFIA URBANA

    Descubra a fotografia urbana abstrata

    Crie obras de arte do mundano deslumbrantes com estas técnicas simples para obter imagens urbanas surreais.

  • Vista aérea de uma cidade à noite, vários edifícios iluminados sob um céu azul escuro com traços rosa.

    FOTOGRAFIA DE CIDADE

    Tire o máximo partido das oportunidades de fotografia urbana com as nossas melhores sugestões

    Capte paisagens urbanas deslumbrantes e cenas urbanas extremamente detalhadas. Continue a ler para obter todos os conselhos, sugestões, técnicas e inspiração de que necessita.

  • Uma mulher com um vestido de verão e chapéu segura a Canon EOS R10 junto ao rosto para olhar através do visor, diante de arquitetura espanhola detalhada.

    FOTOGRAFIA DE VIAGEM

    Uma visita à cidade de Sevilha com a EOS R10

    A blogger Diana Millos descobre por que razão esta câmara criativa é a companheira de viagem ideal.