FOTOGRAFIA URBANA

Fotografe de forma diferente: sugestões de fotografia abstrata

Percorra as ruas para captar imagens abstratas surpreendentes, detalhes intangíveis e exposições duplas surreais com a sua câmara Canon.
Canon Camera
À primeira vista, uma imagem abstrata não tem qualquer relação com algo do mundo real. Ao criar imagens que estão menos relacionadas com a realidade, podemos expressar uma ideia ou uma emoção independente dos objetos e cenas do dia a dia. É frequente ouvir que as fotografias devem ser nítidas, diretas e focadas. No entanto, com a fotografia abstrata podemos quebrar essas regras como entendermos. Isto oferece uma enorme liberdade aos fotógrafos para captar a atenção do espetador a um nível mais profundo, enquanto exploram visuais fascinantes e experimentam técnicas fotográficas.

O tema abstrato conjuga perfeitamente com a fotografia urbana e documental. Os ambientes urbanos estão repletos de detalhes, geometria e movimento que, com algumas competências de câmara, podem ser observados e captados de forma conceptual, revelando maravilhas escondidas até nas cenas mais comuns e familiares.

A abordagem abstrata não só oferece um novo ângulo para captar momentos icónicos e edifícios impressionantes, como também permite transmitir uma impressão vívida do ambiente urbano à nossa volta, quer seja uma atividade vibrante ou uma discórdia melancólica. Por isso, porque não agarra na sua câmara e dá um passeio pela cidade à procura de imagens abstratas? Nunca se sabe o que vai captar.

1. Capture a desfocagem

Imagem de uma rua com um nível elevado de desfocagem vertical. Os peões continuam visíveis, mas grande parte da cena transformou-se em faixas de luzes rosa, verde e amarela.

Ao fotografar para obter uma imagem desfocada, procure objetos interessantes que criem padrões arrojados, como os guarda-chuvas coloridos pendurados por cima desta rua. Tirada com uma Canon EOS RP com uma objetiva Canon RF 24-105mm F4-7.1 IS STM a 35 mm, 1/15 seg., f/22 e ISO 100.

Um homem a virar a sua câmara Canon para cima e para baixo muito rapidamente.

O movimento para cima e para baixo da câmara, combinado com uma duração da exposição de 1/15 seg., irá transformar uma cena urbana do dia a dia numa desfocagem fantástica.

A vibração da câmara é, normalmente, algo que os fotógrafos querem evitar, mas o movimento intencional durante a exposição pode levar a imagens urbanas abstratas impressionantes. Além disso, é uma forma maravilhosa de transmitir um sentido de lugar.

O segredo está em definir a velocidade do obturador de forma a que esteja suficientemente lenta para criar desfocagem, mas suficientemente rápida para deixar a impressão das pessoas e formas. Experimente definir a câmara para o modo Prioridade ao obturador (Tv) com uma velocidade do obturador de 1/15 seg. Defina, como ponto de partida, a sensibilidade à luz da sua câmara para ISO 100 e ajuste-a de acordo com o nível de luz ambiente à sua volta até obter uma exposição com a qual está satisfeito. Em seguida, ao premir o botão do obturador, faça um movimento curto e súbito com a câmara. Um movimento para cima e para baixo funciona bem para cenas que incluem pessoas, pois preserva a forma das figuras. No entanto, também pode experimentar fazer um movimento lateral, uma rotação súbita ou um zoom rápido.

No modo Prioridade do obturador (Tv), também pode simplesmente definir o ISO para automático, que está disponível na maioria das câmaras. Isto irá permitir que se concentre apenas na velocidade do obturador.

2. Escolha a exposição para as altas-luzes

Fotografia tirada numa passagem subterrânea com um feixe de luz a bater numa parede com grafíti.

Fotografar áreas com luz e cor brilhantes ou contrastantes pode ajudar a criar imagens abstratas. O contraste permite ver mais facilmente o mundo como uma série de formas. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 39 mm, 1/160 seg., f/8 e ISO 100.

Ecrã LCD com uma pessoa a reduzir a exposição na câmara para produzir uma imagem mais escura.

Ative a compensação de exposição e reduza a exposição em um ponto ou dois para expor as altas-luzes em dias solarengos. Tenha em atenção que para conseguir isto tem de utilizar definições de exposição automáticas, tais como Prioridade à abertura, Prioridade ao obturador ou ISO automático.

Os fotógrafos evitam muitas vezes fotografar sob luz solar direta durante o dia, pois cria contrastes arrojados com sombras profundas. No entanto, quando se trata de fotografia urbana, este contraste permite simplificar as cenas mais movimentadas, transformando-as em formas abstratas impressionantes. Ao expor para as altas-luzes, as sombras nas suas imagens tornam-se quase pretas, criando formas sem detalhe.

A maneira mais fácil de conseguir isto é utilizar a compensação de exposição. Basta diminuir a exposição em um ponto ou dois para escurecer a cena, de modo a que as sombras se tornem escuras e as partes da cena com luz solar intensa permaneçam arrojadas.

3. Fotografe exposições duplas

Dupla exposição de um horizonte da cidade mapeado sobre outro, que está invertido.

Quando está no modo de exposição múltipla, o ecrã LCD da câmara apresenta uma pré-visualização em tempo real da imagem combinada enquanto capta a fotografia. Isto facilita a composição da segunda exposição para que funcione em harmonia com a primeira. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 55 mm, 1/160 seg., f/7,1 e ISO 100.

Ecrã LCD invertido numa câmara Canon com uma exposição dupla de edifícios aparentemente suspensos no céu.

Ao virar a câmara ao contrário para captar o segundo enquadramento de exposição dupla, consegue criar paisagens urbanas surreais.

Popular desde o século XIX, a exposição dupla permite sobrepor uma imagem por cima de outra para obter resultados notáveis. A Canon EOS 90D e muitas outras câmaras novas oferecem o modo de exposição múltipla dedicado que permite criar o efeito enquanto fotografa. Basta ativar o modo, definir o número de exposições pretendido e começar a fotografar. Quando a Visualização direta é ativada, o ecrã apresenta uma pré-visualização do efeito quando capta o segundo enquadramento (ou terceiro ou quarto; o modo permite captar até nove), para que possa ajustar a sua fotografia de forma a criar a combinação mais interessante.

Ao procurar motivos e cenas para as suas exposições duplas, lembre-se de que as áreas mais claras irão manter-se iguais ou ficar mais brilhantes, nunca mais escuras. Isto significa que as formas e os edifícios mais escuros contra um fundo claro como o céu podem resultar em imagens ousadas.

4. Sobreponha vários enquadramentos

Exposição múltipla a preto e branco de um arranha-céus.

Ao criar imagens com múltiplos enquadramentos, pode escolher entre o modo Adicionar ou Médio. O modo Adicionar sobrepõe as áreas mais brilhantes umas sobre as outras, enquanto o modo Médio ajuda a evitar que as áreas fiquem sobre-expostas. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 21 mm, 1/640 seg., f/11 e ISO 100.

Uma imagem sobreposta da linha do horizonte de Londres espelhada.

Ao sobrepor vários enquadramentos, experimente espelhar a sua fotografia, tal como esta imagem, para criar uma linha do horizonte abstrata. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 47 mm, 1/250 seg., f/9 e ISO 100.

Porquê parar nas exposições duplas? O modo de exposição múltipla disponível nas câmaras como a Canon EOS 90D e a Canon EOS RP permite-lhe captar e combinar uma série de enquadramentos numa única imagem distintiva. Para captar uma imagem arquitetónica apelativa, experimente definir cinco enquadramentos e fotografar um edifício, tudo isto com ligeiras variações do seu ponto de vista ou do zoom da objetiva. Os enquadramentos serão sobrepostos à medida que dispara, resultando num efeito de exposição múltipla impressionante.

5. Capte mais detalhes

Um homem a segurar uma câmara numa rua da cidade a olhar para os grandes edifícios de vidro.

Durante os seus passeios com a sua câmara, procure pontos de contraste interessantes, padrões harmoniosos, formas geométricas, vastidões de cor ousadas ou detalhes arquitetónicos abstratos.

Parte lateral de um arranha-céus captada de baixo, com vidro colorido a tapar um lado.

Fotografar grandes planos das características de edifícios, como esta imagem tirada de um ângulo, é uma excelente forma de tornar as estruturas arquitetónicas abstratas. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 30 mm, 1/250 seg., f/9 e ISO 100.

Um dos grandes prazeres da fotografia urbana é a variedade de detalhes interessantes ao nosso redor, desde linhas arquitetónicas abstratas aos sinais, texturas, tipografia e reflexos coloridos. Muitas vezes, as melhores fotografias abstratas têm composições simples. Ao focar-se num ou dois detalhes e excluir tudo o resto, pode criar fotografias magníficas que fazem alusão ao ambiente à sua volta. Imagens como esta também são excelentes peças de arte de parede. Porque não imprimir as suas favoritas?

6. Jogue com a sombra

Um lance de escadas na sombra profunda, com apenas pequenas partes de cada degrau visíveis.

Com um pouco de pensamento criativo, as sombras projetadas pelas escadas podem criar uma imagem abstrata arrojada. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 21 mm, 1/250 seg., f/10 e ISO 250.

Imagem a preto e branco de um edifício de betão, captada de baixo, criando formas geométricas com a sombra.

Focar-se em captar as sombras e as silhuetas é uma forma simples de tornar as suas imagens mais abstratas. Tirada com uma Canon EOS 90D com uma objetiva Canon EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS STM a 31 mm, 1/250 seg., f/8 e ISO 100.

Quando o sol está baixo, as sombras da rua aumentam. Esta pode ser uma excelente altura para captar as formas abstratas das sombras. Procure sombras que tenham formas angulares interessantes por toda a rua e experimente incluir as sombras de pessoas e edifícios. Opte por expor para as altas-luzes, tal como descrito no ponto dois, para simplificar a imagem, de modo a que as áreas mais escuras fiquem pretas.

A fotografia abstrata oferece uma liberdade que poucos géneros conseguem igualar e é uma excelente forma de explorar os controlos e as definições criativos da sua câmara sem se sentir limitado pelas regras habituais da fotografia. Não há formas corretas ou erradas de fotografar, apenas oportunidades infinitas para captar fotografias abstratas evocativas.

Escrito por James Paterson

Produtos relacionados

Artigos relacionados