IMPRIMA

Editar as suas fotografias para impressão

O seu guia passo a passo para obter os melhores resultados ao imprimir as suas fotografias.
Uma mulher, com um pacote de papel de impressora Canon numa mão, examina algumas impressões fotográficas numa mesa à sua frente, com um computador portátil aberto ao lado. Uma impressora Canon é visível num painel lateral em segundo plano.

As impressões fotográficas são presentes e recordações fantásticos. Pode utilizar as suas fotografias para criar cartões de felicitações, calendários e decorações domésticas, compilar álbuns fotográficosou personalizar os seus objetos com autocolantes de imagens favoritas. As impressões também são recordações duradouras de viagens, reuniões de família ou marcos na vida da sua família.

Pode escolher entre uma gama de aplicações para impressão. Para cartões e calendários, o Easy-PhotoPrint Editor Canon permite-lhe editar, recortar, alterar fundos, adicionar texto ou molduras e utilizar muitas outras ferramentas criativas, como modelos, carimbos e símbolos, para melhorar as suas imagens e imprimi-las. A aplicação Canon PRINT também facilita a produção de uma gama de projetos de impressão, abrindo um mundo de possibilidades criativas.

No entanto, para além de exercer a sua criatividade e adicionar toques pessoais, vai querer que as impressões tenham a melhor qualidade possível, com detalhes nítidos, uma gama de tons rica e cores realistas. Aqui vamos focar-nos em como otimizar as suas imagens utilizando o Digital Photo Professional (DPP) Canon ou o seu software de edição preferido para obter os melhores resultados ao imprimir.

Um computador portátil aberto pousado numa secretária a exibir o software Canon Easy-PhotoPrint no ecrã, com papel Canon à esquerda e uma impressora Canon à direita.

O Canon Easy-PhotoPrint Editor simplifica a adição de texto, molduras, padrões e outros toques criativos às suas fotografias antes de as imprimir em impressoras PIXMA e MAXIFY compatíveis. Tem até uma ferramenta Auto Photo Fix de um clique, concebida para otimizar as fotografias para impressão.

Um homem segura uma impressão de uma fotografia do Grande Canal em Veneza, com uma impressora Canon numa secretária em segundo plano.

Escolha um tipo de papel que faça justiça às suas fotografias de viagens de família a locais especiais e garanta que produz uma recordação que irá guardar.

Escolher uma impressora

Que impressora deve utilizar? Se quiser comprar uma, consulte os nossos guias para as melhores impressoras Canon para impressão de fotografias e impressoras para todas as ocasiões. Para já, assumimos que está a utilizar uma boa impressora a jato de tinta de uso geral.

No entanto, uma coisa a ter em conta é que pode esperar que as cores sejam mais realistas se utilizar uma impressora com mais do que as quatro cores básicas de tinteiro. Por exemplo, a série Canon PIXMA TS8750 utiliza seis tinteiros individuais, incluindo cinco tinteiros de cor à base de corantes para uma qualidade fotográfica soberba, com um espaço de cor e uma gama de tons melhorados. Para marcar a sua posição, a Canon PIXMA PRO-200, que utiliza oito tinteiros individuais à base de corantes, oferece impressão A3 de grande formato de qualidade profissional a um preço relativamente acessível.

Escolher o seu papel

Seja qual for a impressora que utilizar, escolha um tipo de papel adequado ao carácter da imagem e ao tipo de impressão que pretende. No geral, os papéis fotográficos brilhantes, como o papel fotográfico brilhante GP-501 Canon, podem suportar uma gama de tons mais ampla do que os papéis mate, tornando-os numa boa escolha para fotografias a cores vívidas e com qualidade de laboratório fotográfico. Os papéis mate, como o papel fotográfico mate MP-101 Canon são excelentes para imagens mais dramáticas e de baixo contraste, especialmente a preto e branco. Os papéis à base de pano, telas e artísticos estão disponíveis com diferentes texturas e acabamentos e podem ser perfeitos para um presente memorável ou decoração única.

O principal aspeto é que diferentes materiais têm diferentes características de absorção de tinta e refletividade, tornando essencial a utilização das definições corretas durante a impressão. Além disso, para obter os melhores resultados, tenha em mente a utilização pretendida e otimize a imagem para o suporte no qual está a imprimir.

Um utilizador segura uma fotografia impressa numa mão junto a um computador portátil, que apresenta fotografias da mesma ocasião. Mais impressões de fotografias estão na secretária de cada lado do portátil.

Os computadores portáteis mais recentes tendem a apresentar cores demasiado frias (demasiado azuis) e apresentam uma relação de contraste de até um milhão para um – milhares de vezes superiores a uma impressão fotográfica. Para uma melhor correspondência entre o que vê no ecrã e o que obtém na impressão, reduza o brilho do ecrã e calibre as cores. Como ponto de partida, ajuste o branco que vê no ecrã para corresponder ao branco do papel que está a utilizar.

Gestão de cor

Antes de começar a editar fotografias, recomendamos que calibre o seu monitor, se possível. Isto significa que as suas impressões correspondem melhor com o que vê no ecrã, evitando desperdícios e demorados testes de tentativa e erro. A forma mais eficaz de o fazer é utilizar um kit de calibração, mas se este for um investimento demasiado grande para justificar apenas uma impressão fotográfica ocasional, eis algumas correções rápidas para tentar.

Em primeiro lugar, é muito comum que as impressões pareçam demasiado escuras, simplesmente porque o monitor revela mais detalhes em áreas de sombra do que as que podem ser impressas. Todos os ecrãs modernos suportam uma gama muito maior de brilho do que as impressões, com uma relação de contraste normalmente de, pelo menos, 1000:1 e, muitas vezes, muito mais. Em comparação, o melhor papel fotográfico brilhante pode alcançar uma relação de contraste de 200:1 entre o preto mais escuro e o branco mais brilhante, enquanto um papel mate pode ser de apenas 100:1. Para uma impressão no ecrã mais precisa do que obterá numa impressão, basta reduzir o brilho do monitor.

Em segundo lugar, os ecrãs LCD modernos tendem a ficar demasiado azuis, especialmente quando são novos (as cores tornam-se frequentemente mais quentes – mais amarelas – à medida que o ecrã envelhece). Para solucionar este problema no Windows, aceda a Definições > Ecrã > Calibrar a cor do ecrã. Num Mac, aceda ao menu Ajuda e procure Assistente de Calibragem de Monitores. Normalmente, os ecrãs têm uma definição de ponto branco predefinida (temperatura da cor) de D65 ou 6500K – experimente alterar esta definição para D50 ou 5000K. Ou simplesmente defina o ponto branco para que o branco no ecrã corresponda ao branco do papel no qual está a imprimir, nas condições de iluminação em que será visualizado. Tenha cuidado para que o brilho do ecrã não engane os seus olhos.

Por fim, verifique as definições de cor. No DPP, aceda a Ferramentas > Preferências e clique em Gestão de cores. Não se preocupe com a primeira opção, Espaço de cor de trabalho. Por vezes, os fotógrafos profissionais fotografam em Adobe RGB, um espaço de cor mais amplo, mas se as suas fotografias forem sRGB, não há vantagens práticas em alterá-las. Na janela pop-up Perfil de impressão, selecione a impressora que vai utilizar. O DPP aplica a gestão de cores utilizando perfis ICC para impressoras que suportem estas funcionalidades, que contêm detalhes das capacidades de cor exatas dos dispositivos e permitem uma maior fidelidade de cor.

Junto a isto, para a Intenção de composição selecione Colometria relativa. Esta definição significa que se uma imagem contiver quaisquer cores que estejam fora da gama de cores da impressora, estas serão convertidas para as cores imprimíveis mais próximas, mas o resto da imagem permanecerá inalterada. Se selecionar Percetivo, todas as cores da imagem serão ajustadas de forma a preservar a relação entre elas e, muitas vezes, as imagens a cores ficam pouco saturadas e parecem pouco intensas. Geralmente, as cores mudam menos se utilizar Colometria relativa.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon que mostra a claridade a ser melhorada numa imagem de um casal recém-casado abraçado.

O software Digital Photo Professional (DPP) Canon oferece-lhe opções mais abrangentes do que as aplicações para smartphone, permitindo-lhe, por exemplo, fazer ajustes específicos a cores específicas, com controlos deslizantes de Tonalidade, Saturação e Claridade para cada gama de cores.

Noções básicas de edição

Se conseguir começar com um ficheiro RAW, que contém todos os dados de cor e tons captados pelo sensor, terá mais espaço para edição. No entanto, se não tiver fotografado em RAW, pode continuar a utilizar o DPP para melhorar a sua imagem para impressão (embora algumas ferramentas e opções não estejam disponíveis). Se estiver a começar com um TIFF ou JPEG, a melhor prática é trabalhar numa cópia da imagem, para preservar o original.

Com ficheiros RAW, um bom primeiro passo é corrigir quaisquer aberrações óticas com o Otimizador lente digital do DPP (se utilizou uma câmara suportada com uma objetiva suportada) ou com as ferramentas no painel de Correção da objetiva, o que pode corrigir falhas como degradação de imagem e distorções da objetiva. As JPEGs terão tido correções de objetiva aplicadas na câmara.

O DPP 4.17 inclui o Neural Network Image Processing (requer subscrição), que utiliza IA de aprendizagem automática para analisar de forma inteligente as várias áreas de cada imagem e aplicar melhorias seletivas com base no conteúdo da imagem. Pode refinar áreas de detalhe, aplicar uma redução de ruído de desempenho superior em áreas menos detalhadas e corrigir falhas e distorções causadas por imperfeições da objetiva. Se imprimir fotografias com frequência, ou se quiser imprimir fotografias de ocasiões importantes e únicas, como um casamento, vale a pena considerar uma subscrição.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon que mostra uma fotografia de uma noiva a preparar-se. As áreas subexpostas são realçadas a azul e as áreas sobre-expostas a vermelho.

O DPP tem uma útil apresentação de avisos de altas-luzes e sombra, que pode alertá-lo para áreas em risco de clipping (perda de detalhes tonais). Uma sobreposição vermelha mostra áreas de altas-luzes que podem ser impressas como um branco sem pontos de referência e uma sobreposição azul apresenta áreas de sombra que correm o risco de imprimir sem detalhes distinguíveis. Este ecrã pode ajudar a fazer os ajustes de brilho e tom adequados.

Corte e refine a composição

Em seguida, considere a composição da sua imagem. Se estiver a planear uma impressão com um rácio de aspeto diferente do da imagem original, como um retrato quadrado 1x1 ou uma paisagem 16x9, corte para garantir que o enquadramento é o que pretende e que não são cortados elementos de imagem importantes. Também pode cortar para obter um efeito criativo, quer remova áreas indesejadas ou que distraem da fotografia ou para focar a atenção num elemento específico. Pode rodar a imagem para adicionar interesse ou nivelar um horizonte inclinado.

Os princípios de composição, como a regra dos terços, podem ajudá-lo a criar um enquadramento eficaz para liderar o olhar. Num retrato, recortar em grande plano pode causar impacto, mas normalmente é melhor evitar posicionar o motivo diretamente no centro da moldura – as composições assimétricas parecem mais dinâmicas.

Evite recortar para uma área muito pequena de uma imagem, que pode não conter detalhes suficientes para uma impressão satisfatória. Dito isto, a Canon introduziu uma inovadora Neural Network Upscaling Tool (necessária subscrição),1 que pode duplicar a resolução de uma imagem com resultados muito mais realistas do que aumento de definição convencional. Esta ferramenta, alimentada pela tecnologia de processamento de imagem de aprendizagem profunda Canon, pode ser ideal se uma fotografia tiver sido gravemente recortada ou simplesmente não tiver pixéis suficientes para impressão de grande formato.

Em alternativa, em vez de recortar um fundo com detalhes que podem distrair, poderia considerar desfocar? Neste momento, pode continuar a aplicar mais edições criativas, talvez corrigindo os tons de cor com a funcionalidade de Ajuste de equilíbrio de brancos do DPP, retocar manchas ou detalhes indesejados, ou utilizar filtros e Estilos de imagem para uma estilização rápida e fácil. Pode, por exemplo, fazer com que uma imagem pareça ter sido captada com uma câmara de utilização única antiga, ou dar-lhe um acabamento em sépia vintage, entre muitos outros.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon que apresenta o histograma e outras opções no painel de ferramentas Ajuste de Gama.

No painel de ferramentas de Ajuste de Gama do DPP, se a sua imagem parecer demasiado escura ou demasiado desvanecida, experimente clicar no botão Auto (A) por cima do histograma para um arranjo rápido. Verifique se o histograma vai completamente da esquerda para a direita, reduzindo-se em cada extremidade. Se não chegar a qualquer uma das extremidades (como neste exemplo), arraste os marcadores por baixa da mesmo (B) para dentro até que estes toquem ligeiramente na extremidade do gráfico. Isto torna as sombras mais escuras em preto sólido e as altas-luzes mais brilhantes branco puro. Esta gama completa de cores escuras e claras irá tornar a imagem mais rica e intensa na impressão, especialmente em papel fotográfico brilhante.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon com os controlos no Painel de ferramentas avançadas, incluindo Contraste, Saturação de cor e Nitidez.

O Painel de ferramentas avançadas do DPP inclui controlos para ajustar a tonalidade, a cor e a nitidez. No DPP, não é possível mascarar áreas e aplicar nitidez localmente, como o é em algum software de edição, como no Adobe Photoshop, 2, mas utilizar a opção Máscara de nitidez do DPP (disponível para ficheiros RAW), manter a definição de clareza baixa e aumentar o limite irá restringir o efeito de nitidez a extremidades distintas e evitar rugosidade da textura da pele e outras áreas relativamente pouco detalhadas da imagem.

Ajuste os tons e a gama dinâmica

Se a imagem estiver escura ou o contraste for baixo, pode utilizar o Otimizador de iluminação automático do DPP para corrigir automaticamente o brilho e o contraste. Se pretender assumir mais controlo, abra o painel de ferramentas de Ajuste de gama do DPP. Aqui, tal como a sua câmara, o DPP apresenta um histograma – uma representação gráfica dos tons da imagem, do mais escuro ao mais claro. Se o gráfico for cortado em qualquer um dos lados, isto significa que a imagem está a sofrer com clipping e que os detalhes tonais estão a ser perdidos nas altas-luzes mais brilhantes ou nas sombras mais escuras.

Comece por clicar em Auto (acima do histograma), que ajusta automaticamente o ponto branco, o ponto preto e o ponto médio, e repõe o Otimizador de iluminação automático e o Contraste. Pode então ajustar manualmente o brilho, o equilíbrio de brancos e outras definições.

Muitas pessoas gostam de aumentar a saturação e o contraste para dar mais potência às imagens. Experimente o painel de ferramentas avançado do DPP para isso. Também pode alterar a exposição geral com o controlo deslizante de Ajuste de brilho. Por vezes, é uma boa ideia clarear a imagem em geral se imprimir em papéis mate, que podem parecer menos brancos, mas não exagerar – pare quando as áreas brancas estiverem brancas em vez de cinzentas. Se a imagem começar a parecer pouco natural, reduza o grau de sombra e ajuste de altas-luzes utilizando os controlos deslizantes.

Se necessário, pode utilizar o painel de Ferramentas de ajuste parcial do DPP para ajustar o brilho, o contraste, a tonalidade e a saturação de secções específicas da sua imagem.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon, que mostra um detalhe de uma fotografia à beira do rio ao anoitecer com ruído de imagem evidente nas nuvens e apresentado na janela de detalhes do DPP.

As fotografias tiradas em condições de pouca luz podem sofrer de ruído de imagem, especialmente em áreas de sombra, e o excesso de nitidez pode tornar esse ruído ainda pior, tal como a janela de detalhes no painel do lado direito do DPP é apresentada em grande plano.

Uma captura de ecrã do software DPP Canon com a mesma fotografia de um rio ao anoitecer, com o ruído da imagem significativamente reduzido.

O DPP inclui ferramentas de redução de ruído muito eficazes, que podem tratar tanto do ruído de luminância (granulação) como do ruído de crominância (manchas de cor). Compare aqui os detalhes em grande plano com o original.

Aumente a nitidez para imprimir

A nitidez deve ser sempre o passo final. Obterá melhores resultados se a imagem estiver tão limpa quanto possível para começar, por isso, trate primeiro de qualquer ruído de imagem (e evite reabrir e guardar novamente JPEG repetidamente – a qualidade da imagem irá deteriorar-se cada vez que o faz). Para a nitidez ou redução de ruído, veja a imagem com uma ampliação de 100% para que possa ver claramente os efeitos.

Todas as fotografias irão beneficiar de alguma nitidez, porque a impressão suaviza inerentemente as imagens um pouco, mas isto varia consoante o tipo de papel – quanto mais a tinta for absorvida e dissipada, maior será o efeito suavizante. Isto significa que a impressão em tela exigirá mais nitidez do que uma impressão em papel semibrilhante ou lustre, e uma impressão em papel fotográfico brilhante exigirá ainda menos.

A ferramenta de nitidez do DPP melhora o contraste ao longo das extremidades da imagem para criar uma sensação de maior nitidez, mas a Máscara de nitidez proporciona um controlo mais preciso – possui controlos separados para Força, Clareza e Limite. No entanto, ao contrário da sua equivalente em software como o Photoshop, no DPP, a ferramenta Máscara de nitidez está disponível apenas com ficheiros RAW.

Independentemente das ferramentas que utilizar, use a nitidez seletivamente. Evite usar a nitidez onde desejar transições suaves, tons de pele suaves ou fundos indistintos. Usar a nitidez em áreas de cor plana pode introduzir um ruído de imagem pouco atrativo. Com a Ferramenta de processamento da Neural Network Image Processing no DPP 4.17, os pequenos detalhes e a textura podem ficar automaticamente mais nítidas para obter o melhor efeito, enquanto as áreas relativamente pouco detalhadas de uma imagem irão manter gradações suaves e um aspeto sem ruído.

Definições para uma ótima impressão

A postos para imprimir? Em vez de selecionar apenas Imprimir, aceda a Ficheiro > Imprimir com definição detalhada. Deixe a resolução a 350 dpi, a predefinição do DPP para impressão. Para obter os melhores resultados, defina sempre aQualidade de impressão como elevada. A utilização das definições de Preferências corretas (como acima) deve ter em conta a correspondência de cores, mas no menu pendente Tipo de papel, é essencial selecionar o papel que está a utilizar – escolher as definições erradas aqui pode anular todo o trabalho árduo.

Siga este guia para tirar o máximo partido das suas fotografias em todas as ocasiões e produzir impressões que terá todo o prazer em apresentar ou partilhar e veja asmelhores dicas de um profissional para apresentar fotografias de família.


Escrito por Alex Summersby

  1. A Neural Network Upscaling Tool é apenas para Windows, sendo necessária uma subscrição (período de experiência gratuito de um mês disponível). Se subscrever à Neural Network Processing Tool, a Neural Network Upscaling Tool não requer uma subscrição adicional.
  2. Adobe e Photoshop são marcas comerciais registadas ou marcas comerciais da Adobe nos Estados Unidos e/ou noutros países.

Produtos relacionados

Artigos relacionados

  • PRINCÍPIOS BÁSICOS

    Fotografar para imprimir

    Sete sugestões fantásticas para captar memórias e preservá-las com a impressão.

  • Uma fotografia "antes e depois" de um casal no seu dia de casamento junto a um lago, escura e não editada à esquerda, mostrando a versão mais clara à direita, editada no DPP.

    NOÇÕES BÁSICAS DE EDIÇÃO

    Como editar fotografias especiais

    Melhore as suas fotografias de ocasiões especiais com estas sugestões simples para edição de fotografias.

  • FOTOGRAFIA DE CASAMENTO

    Criar o seu próprio álbum de casamento

    Fazer o seu próprio álbum de casamento pode ser extremamente gratificante. Descubra como fazê-lo com as sugestões dos nossos especialistas.

  • Uma fotografia "antes e depois" de um campo de relva alta, escura e não editada à esquerda, mostrando a versão mais clara à direita, editada no DPP.

    EDIÇÃO DE FOTOGRAFIAS/PÓS-PRODUÇÃO

    Editar imagens RAW com o DPP

    Descubra como editar, aperfeiçoar e melhorar as suas fotografias RAW utilizando o software DPP da Canon.